Estado

Foto: Divulgação

O secretário estadual da Administração, Lúcio Mascarenhas, recebeu representantes da Associação dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Aspol/TO), nesta última segunda-feira, 05, para tratar de diversos temas relacionados à classe. Na ocasião, Mascarenhas reafirmou que o Governo do Estado tem interesse em resolver a situação dos 392 agentes penitenciários através do aproveitamento dos mesmos em outra categoria da Policia Civil, (com a criação da Lei dos Agepens) compromisso de campanha do governador Siqueira Campos com a Aspol/TO.

O presidente Davi Fernandes questionou ao secretário sobre a criação de trezentas vagas para que os policiais Civis que se encontram aptos desde o dia primeiro de maio do corrente ano, para que os mesmos possam progredir em suas respectivas carreiras funcionais. O secretário Lúcio Mascarenhas ficou de marcar uma nova reunião com a Aspol ainda no mês de novembro para tratar deste e dos demais assuntos de interesse da categoria.

Sobre a lei dos Agepens, Mascarenhas disse que uma nova reunião com as entidades será marcada para a segunda quinzena de novembro, com um cenário mais concreto do que o Governo planeja para esses Policiais Civis. “Estou empenhado em solucionar a situação dos agentes penitenciários. Por volta do dia 20 [novembro] teremos novidades sobre esse processo”, disse o secretário.

Data base

Questionado sobre a definição da data base da categoria, Mascarenhas foi enfático em dizer que o Governo do Tocantins passa por um período de arrocho fiscal e que o momento não é propício para o debate sobre este tema. “A Secad deixou claro que sobre a data base está negociando com os sindicatos. Portanto, cabe aos sindicatos terem a firmeza necessária para garantir o direito adquirido dos servidores do Estado do Tocantins”, diz o presidente da Aspol/TO Davi Fernandes. (Ascom Aspol)