Polí­tica

Foto: Divulgação

Os gastos que os vereadores eleitos em Palmas neste ano  declararam á justiça eleitoral já estão disponíveis no sistema do Tribunal Superior Eleitoral. O vereador mais votado, Rogério Freitas do PMDB gastou R$ 187.98,50 mil e declarou ter recebido R$ 240.356.52 mil sendo que R$ 30 mil deste valor foi doado por ele, segundo os dados. Rogério foi o único que conseguiu ter mais de 3 mil votos: 3.112 palmenses votaram no peemedebista. O mais votado no entanto não foi o que gastou mais.

O vereador Lúcio Campelo (PR) que foi reeleito gastou R$ 207.800,00 e recebeu de doação o mesmo valor. O Auto Posto Assis fez uma doação de R$ 50 mil para a campanha do republicano. Campelo teve 2.659 votos. Foi o segundo maior gasto dentre todos os eleitos.

Os dados de receita e despesa do mais jovem eleito e terceiro com maior número de votos (2.144 votos), Iratã Abreu do PSD  não constam no TSE. É o único vereador eleito que não tem os dados disponíveis o que pode ter ocorrido por erro na alimentação do sistema do TSE ou ainda por falta da apresentação dos dados à justiça eleitoral. O Conexão Tocantins tentou contato com Iratã para falar sobre o assunto mas não conseguiu até o fechamento desta matéria.

O peemedebista Joel Borges teve despesa calculada em R$ 150.700,60 e receita de R$ 173.757,12. Foram 2.104 votos.

Raimundo Nego de Negreiros, o Major Negreiros do PP declarou ter recebido R$ 90.603,56 mas o gasto que consta nos dados é de apenas R$ 1.005,93. Negreiros foi um dos mais votados com 2.006 votos.

Do PSB, Marilon Barbosa, que teve 1.905 votos, declarou ter gasto menos do que recebeu. A receita declarada foi de R$ 59.846,85 e a despesa R$ 43.150,00 mil. O pevista  Joaquim Maia teve despesa maior que Barbosa: R$ 124.511,83 mil. A receita apontada por Maia foi de R$ 159.336,52. O integrante do PV foi eleito com 1.798 votos.

Júnior Geo do PSB declarou ter despesa de R$ 1200. Cleiton Cardoso, que recebeu 1.789 votos, registrou receita de R$ 89.856,52 e despesa de R$ 55.000,00.

O peemedebista Emerson Coimbra gastou R$ 263.185,78 e teve R$ 303.606,52 de receita.Foram 1.754 votos. Sem os dados de Iratã, Coimbra foi o que mais gastou dentre os eleitos.

Valdemar Júnior do PSD, que foi reeleito com 1.702 votos, gastou R$ 135.957,51 e teve receita de R$ 176.773,03 mil.

Edson Mota de Oliveira, Eltinho Nordeste, registrou despesa de R$ 14.498,50 mil e receita de R$ 120.506,24 mil. Eltinho recebeu 1.698 votos.

José do Lago Folha, único vereador do PTN eleito com 1.682 votos, gastou R$ 89.094,96. Na campanha Folha recebeu R$ 182.443,35.

Gerson Alves de Sousa, o Gerson da Mil Coisas, que teve 1.678 votos  recebeu R$ 209.533,77 mil e declarou gasto de R$ 137.677,25.

Do PSC, Joao Campos de Abreu teve despesa de R$ 62.72397 e receita R$ 84.006,52. Foram 1.627 votos.

José Hermes Damaso (PR) que teve o mandato cassado por infidelidade partidária recebeu R$ 175.876,85 e gastou  R$ 129.238,89. A quantidade de votos foi 1.598.

Wadson da Agesp, candidato eleito pelo PT declarou ter gasto apenas R$ 1.400,00 e ter recebido R$ 33.618,85. O petista teve 1.532 votos.

Jucelino Rodrigues do PTC que teve 1448 votos declarou ter recebido R$ 33.618,85 sendo que o gasto de sua campanha foi de R$ 46.867,00.

O último eleito, Claudemir Portugal do PPS que teve 1.304 votos  declarou ter tido despesa de R$ 1.000,00 e recebido R$ 25.882,82.