Polí­tica

Foto: Divulgação Alguns membros do atual diretório do PMDB Alguns membros do atual diretório do PMDB

O PMDB nacional deve resolver nesta semana a situação no diretório estadual no Estado. Na semana passada a maioria dos membros protocolaram renúncia coletiva com a intenção de provocar a destituição do diretório que tem como presidente o deputado federal Júnior Coimbra (PMDB). Após reunião com alguns membros o presidente nacional Valdir Raupp ouviu Coimbra sobre o impasse.

O atual presidente tem sido alvo de várias críticas no comando da legenda. A ação que culminou na renúncia teve como coordenadores a deputada estadual Josi Nunes, os ex-governadores Marcelo Miranda e Carlos Gaguim além de prefeitos e vereadores da legenda que também renunciaram ao cargo.

Após ser chamado pela direção nacional para dar explicações, Coimbra chegou a cogitar a possibilidade de membros que assinaram a renúncia coletiva desistirem do ato. O prefeito de Araguanã, Noraldino Fonseca encaminhou documento para Raupp onde pede a retirada de seu nome em outra documentação que teria sido apresentada por Coimbra . “Fui induzido de forma enganosa a voltar atrás de minha renúncia do cargo de membro do Diretório Estadual”, diz o prefeito no documento ao qual o Conexão Tocantins teve acesso.

Nesta terça-feira, 13, um novo documento será protocolado pela cúpula do PMDB pedindo urgência na nomeação da comissão provisória. Segundo informaram membros do partido,a intenção é pedir celeridade na saída de Coimbra do comando tendo em vista que segundo alguns filiados, ele está alterando comissões provisórias e praticando outros atos sem consultar a executiva.

Comissão

Caso a comissão seja nomeada nessa semana um dos nomes mais cotados para assumir é o ex-governador Marcelo Miranda. Ele já afirmou ao Conexão Tocantins que está com o nome à disposição. Após a nomeação, o prazo é de 90 dias para convocar novas eleições.

Posicionamento político

O questionamento maior com relação a Coimbra é também o fato que os membros alegam que Coimbra teria se alinhado com o governo estadual e inclusive feito pré-acordo para composição na eleição de 2014. Coimbra teria também informado à membros da direção nacional que o partido iria fazer indicações em algumas secretarias do governo estadual em troca de apoio pontual para o atual governo do PSDB.

O Conexão Tocantins tentou por várias vezes ouvir o deputado sobre suas movimentações para se manter à frente da legenda mas não obteve sucesso até o fechamento desta matéria.