Meio Ambiente

Foto: Antônio Duarte Processo de construção de laje Ecocasa Processo de construção de laje Ecocasa

Entre os dias 18 e 23 de novembro próximo, serão enviados a Natal (RN), dois técnicos da Semades - Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - para participarem de uma capacitação na construção de casas sustentáveis. Serão cinco dias de treinamento, ministrado pelo administrador comercial da Ecocasa, Antônio Duarte, que também é responsável pela concepção de um projeto ecológico, social e ambientalmente sustentável, naquele estado, com a integração de garrafas pet reutilizando-as como novo elemento construtivo na execução de alvenarias e lajes.

O incentivo à capacitação é uma iniciativa do Governo do Estado do Tocantins, através da Semades – Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – que tem como objetivo a busca de conhecimento técnico e experiência em novas tecnologias, para desenvolvimento e apresentação à população de projetos sustentáveis e ambientalmente corretos, que visem a melhoria da qualidade de vida das comunidades e o equilíbrio das atividades humanas no meio ambiente.

O diretor de Desenvolvimento em Energias Renováveis da Semades, Paulo Renato Freitas Silva, destacou a importância do caráter socioambiental da tecnologia que será buscada. “O método aplicado na Ecocasa é uma tecnologia que se destaca pela busca da melhoria das condições de vida da população, construindo soluções que se relacionam com a realidade dos locais. Nele é utilizado um conjunto de técnicas construtivas com procedimentos de boa prática ambiental e economia social”, avaliou o diretor.

A técnica da Semades, Chryss Ferreira Macêdo, enfatizou a importância de buscar o conhecimento de novas tecnologias sustentáveis. “Devemos salientar que a importância de conhecer tecnologias como esta que permite a reutilização de garrafas pets, entre outros, tende a contribuir com a redução considerável do volume dos resíduos sólidos urbanos, que normalmente são destinados aos lixões ou aterros sanitários. Além de tornar possível valorizar um resíduo potencialmente perdido, aumentando seu tempo de vida útil”, pontuou Chryss.

A partir do treinamento recebido, será avaliada a aplicabilidade da tecnologia, na construção de habitações de baixa renda, além de verificada a viabilidade de realizar a divulgação e a reaplicação dessa tecnologia com a capacitação de comunidades, através de oficinas e organização de palestras associadas aos temas, ambiente, reciclagem, economia social e construção sustentável.

Modelo de construção

Numa casa com 48m², composta por dois quartos, sala, cozinha e banheiro, são utilizadas aproximadamente 2.700 garrafas pet. Nesse modelo são executadas paredes com 12 cm de espessura, feitas dentro de moldes galvanizados com cimento. Diferente de outros métodos todo o processo pode ser desenvolvido no local da obra, o que reduz o tempo de construção a aproximadamente 15 dias. No interior da parede as garrafas são preenchidas apenas por ar e encaixada uma a outra através de furos na parte inferior. (Ascom Semades)