Polí­tica

Foto: Divulgação Neurocirurgião Márcio Antônio recebe título de cidadão palmense Neurocirurgião Márcio Antônio recebe título de cidadão palmense

O editor-chefe da TV Anhanguera e da Rádio CBN-Tocantins, Rogério Silva, o ator e produtor cultural Cícero Belém, o superintendente de Trânsito, Transportes  e Mobilidade de Palmas, Manoel Messias, o neurocirurgião Márcio Antônio de Sousa Figueiredo e o pastor Ivan Carlos Augusto da Fonseca receberam nesta quinta-feira, 13, em sessão solene, o Título de Cidadão Palmense. As homenagens foram propostas, respectivamente, pelos vereadores Valdemar Júnior (PSD), Fernando Rezende (DEM), Tenente Célio (ex-vereador), Vânia Severo Vidal (PDT) e Jucelino Rodrigues (PTC).

Fernando Rezende considerou merecida a homenagem a todos, em especial a Cícero Belém, “alguém que vive e respira cultura”. Vânia Vidal considerou um privilégio ter sido a autora da homenagem ao neurocirurgião Márcio Figueiredo e ressaltou a dedicação dos profissionais da área da saúde, como ele, e, também, os da educação. 

O vereador Jucelino Rodrigues disse que o pastor Ivan é diferente porque  chega a tirar recursos do próprio bolso para ajudar outras pessoas, além de ter contribuído para a criação do Tocantins. Valdemar Júnior destacou que Rogério Silva tem como principal função levar a verdade ao cidadão, fazendo uma programação de qualidade e garantindo que o Tocantins seja cada vez mais transparente.

Ao agradecer, Cícero Belém disse que construiu sua vida, dialogando com pessoas de diferentes frentes ideológicas, como é o caso dos vereadores da Câmara de Palmas. Falou, também, sobre o Plano Municipal de Cultura, para ele, “um marco para a cultura de Palmas”. Contou que foi exatamente na gestão de Odir Rocha que foi efetivado na prefeitura. Falou, ainda, que teve o privilégio de rascunhar e de debater com a população todos os projetos da área cultural de Palmas, “graças ao apoio do prefeito e da professora Kátia Maia”.

O neurocirurgião Márcio Figueiredo agradeceu o Título e falou sobre a necessidade de mudanças na cidade, inclusive no trânsito. “Estamos deixando a nossa cidade tragicamente marcada por situações que podem ser evitadas com algumas atitudes”, afirmou. Entre as atitudes, citou a necessidade de se aplicar a Lei Seca e “punir quem causa tanto mal a nossa sociedade”.

Em Palmais, houve mais de 300 habilitações recolhidas este ano, informou Manoel Messias. Falou, ainda, sobre as mudanças na sinalização das rotatórias. “Com o tempo a população vai compreender”, disse, explicando que a medida tem como objetivo reduzir o número de acidentes.

O pastor Ivan relatou o seu empenho na coleta de assinaturas para a criação do Tocantins e agradeceu pelo reconhecimento ao seu trabalho religioso. 

Rogério Silva lembrou que sua relação com Valdemar começou em 1990, quando trabalhava na TV Riviera. “O respeito e a admiração são recíprocos, mas, com certeza, não foi a amizade que nos trouxe aqui. Todos sabem o quanto amo esta terra, brigo por ela e luto para fazer daqui o melhor lugar do mundo”.

Os homenageados receberam os cumprimentos dos vereadores Carlos Braga (PMDB), Lúcio Campelo (PR), Milton Neris (PR) e José do Lago Folha Filho (PTN), além do presidente da Casa, vereador Ivory de Lira.

Presentes, entre outras autoridades, a presidente da Fundação Cultural de Palmas, Kátia Maia, representando o prefeito Raul Filho (PT), e o médico e escritor Odir Rocha, ex-prefeito de Palmas, em nome da Associação Palmense de Letras (ATL).

Coral da Câmara 

Em sua segunda apresentação oficial, o Coral da Câmara de Palmas, sob a coordenação do músico e compositor Anderson Camacho, entoou músicas religiosas e natalinas e “Oh, Happy Day”, hino gospel do século XVIII, com arranjo de Edwin Hawkins Singers, que fez parte da trilha sonora do filme Mudança de Hábito. Com novas camisetas, doadas pela Menorah Indústria de Confecções, o coral foi formado por iniciativa da vereadora Vânia Severo Vidal.

O Hino Nacional e outras músicas foram cantadas por Marcelo Bahia.

Perfis

Pastor Ivan Carlos Augusto da Fonseca

Natural de Rio Verde (GO), é bacharel e pós-graduado em Teologia Bíblica. Começou a pregar como pastor em 1990, no Setor Bela Vista, em Palmas. Em 1995, tornou-se pastor presidente do Campo Monte Sinai, Ministério de Madureira. Atualmente, é líder de 23 congregações e, além da evangelização, realiza orientação matrimonial e trabalhos sociais, como recuperação de dependentes químicos, juiz arbitral, conscientização sobre a importância da conservação do patrimônio público e uso racional do solo. Presta, ainda, assistência hospitalar, como capelão evangélico. (Autor: Jucelino Rodrigues – PTC)

Márcio Antônio de Sousa Figueiredo

Natural do Rio de Janeiro (RJ), é neurocirurgião oncológico, com residência médica no Hospital Naval Marcílio Dias e especialização no Instituto Nacional do Câncer e “fellow” (companheiro, camarada) em neurocirurgia do Hospital de Liberec (República Tcheca). Médico efetivo do Estado e do Município, foi também professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Em 2007, assumiu a coordenação do Serviço de Neurocirurgia do Hospital Geral de Palmas, onde iniciou as cirurgias eletivas. Instalou unidades de terapia intensiva em hospitais privados de Palmas e, atualmente, faz aperfeiçoamento em neurocirurgia endovascular.  (Autor: Vânia Severo Vidal – PDT) 

Manoel Messias Dias Pinto

Natural de Araguacema (TO), é formado em Administração pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e pós-graduado em gestão e segurança no trânsito pelo Itop. Trabalhou como assessor parlamentar na Câmara de Palmas e ocupou diversos cargos na Agência de Trânsito, Transportes e Mobilidade (ATTM). Atualmente, é superintendente da ATTM e conselheiro estadual e municipal de trânsito, além de professor de cursos e de pós-graduação nas áreas de trânsito e transporte. (Autor: Tenente Célio)

Cícero Belém

Natural de Porto Nacional (TO), é ator, diretor teatral, produtor cultual e professor efetivo da Secretaria Municipal de Educação. Há 16 anos, dedica-se à gestão cultural de Palmas. Atua no Conselho Municipal de Políticas Culturais. Em 1985, fundou o grupo Chama Viva e, nos últimos 27 anos, atuou e dirigiu mais de 20 espetáculos. No cinema, participou do filme “Deus é brasileiro”, com Antônio Fagundes. Foi idealizador do Festival Temporada Popular e o primeiro instrutor de teatro do Serviço Social do Comércio (Sesc) do Tocantins. (Autor: Fernando Rezende – Democratas)

Rogério Silva

Natural de Rio Verde (GO), é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Fez curso Master de Jornalismo, no Centro de Extensão Universitária da São Paulo. Iniciou a carreira como correspondente do jornal “O Popular”, em 1991. Em seguida, foi contratado pela TV Riviera, filial da TV Anhanguera em Rio Verde, onde atuou como editor-chefe do Bom Dia, Goiás. Em 1997, veio para Palmas, assumindo o comando de Jornalismo da TV Anhanguera, onde, atualmente, ocupa o cargo de editor-chefe da emissora e da Rádio CBN-Tocantins. (Autor: Valdemar Júnior – PSD)