Campo

Foto: Divulgação

As ações do Governo do Estado, por meio do Ruraltins – Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, em 2012, voltadas para a piscicultura contemplaram diretamente mais de mil e quinhentos produtores rurais em atendimentos e cursos de capacitação. De acordo com o coordenador de Aquicultura, Pesca e Comercialização do Ruraltins, Arthur de Melo, o setor gerou cerca de 2.500 empregos diretos e cerca de 5.000 indiretos, isso só no setor primário, injetando aproximadamente R$ 150 milhões na economia.

O coordenador destacou ainda que a estimativa de produção hoje é de 10 mil toneladas/ano, sendo que até 2015 a previsão é chegar a 25 mil. “A região Sudeste do Estado é um exemplo de como a atividade se desenvolve. Somente nessa região se produz cerca de 70% de toda a produção de peixe do Estado”, comentou.

Os dados da instituição apontam ainda que algumas regiões vêm se destacando no volume da produção de pescado como os municípios de Almas, Porto Nacional, Paraíso do Tocantins, Chapada da Areia, Divinópolis, Aliança do Tocantins, Wanderlândia, Colinas do Tocantins e Cariri.

Os municípios de Almas, Brejinho de Nazaré e Aliança do Tocantins possuem frigoríficos para o beneficiamento de pescado com o SIF – Selo de Inspeção Federal, o que possibilita a exportação para outros Estados. Ainda no município de Almas existe uma fábrica de ração e um laboratório que produz alevinos.

Além de Almas, os municípios de Ipueiras, Porto Nacional, Araguatins, Taipas, Brejinho de Nazaré, Wanderlândia e Crixás transformam o Estado em um excelente exportador de alevinos, conquistando mercado principalmente através da qualidade e dos bons preços, atendendo toda região Norte, Centro-Oeste e alguns Estados do Nordeste.

Segundo o presidente da APR - Associação dos Piscicultores de Almas e Região, a 276 km de Palmas, José Botelho, a assistência técnica do Ruraltins tem sido uma ferramenta importante para o melhoramento da produção. “Por meio da associação e com apoio do Ruraltins podemos buscar inovações e benefícios para o setor, a exemplo de uma fábrica de gelo doada pelo Ministério da Pesca, e estamos pleiteando um abatedouro, o que evitará custos e podemos melhorar a produção. Nossa ideia é montar um balcão de negócios onde será criado um banco de dados com todas as informações da produção na região, facilitando a comercialização, evitando assim os atravessadores.”, disse.

Avanços

Esperada há muito tempo pelos piscicultores, a publicação da Instrução Normativa Nº 09 do Ibama, de 9 de dezembro de 2012, autorizando a criação do peixe tambaqui em tanques-rede nos reservatórios artificiais, localizados ao longo do rio Tocantins, foi uma

grande conquista para o governo e para a classe produtora. A decisão beneficia diretamente cerca de mil produtores de peixe do Estado que aguardam a liberação do licenciamento ambiental, por parte do Naturatins, para desenvolver as atividades.

O cultivo do tambaqui na bacia Tocantins/Araguaia também faz parte do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, que destina R$ 4,1 bilhões em crédito para investimentos no setor, com juros reduzidos e maior prazo de carência.

Por suas características favoráveis, o tambaqui já se tornou a espécie nativa mais criada em cativeiro e com boa aceitação no mercado. Hoje são produzidas no Estado cerca de 300 toneladas/mês de tambaqui, que são comercializadas nas grandes redes de supermercados em todo País.

“No próximo ano o Ruraltins manterá as capacitações tanto de agricultores quanto dos extensionistas. Aguardamos o ingresso de novos técnicos que foram aprovados no concurso do Quadro Geral para serem capacitados e atuarem na atividade, reforçando ainda mais as ações de assistência técnica”, finaliza o coordenador de aquicultura, pesca e comercialização do Ruraltins, Arthur de Melo.

Fomento

Em 2013 já estão garantidos mais recursos para o setor da piscicultura, o que fomentará as ações do órgão junto aos produtores de peixe do Tocantins. Nesse sentido, o MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento destinou recursos da ordem de R$ 3,3 milhões a serem aplicados nas cadeias produtivas, sendo que mais de um milhão de reais serão destinados para a piscicultura.

“Esses recursos chegam para consolidar ainda mais a atividade no Estado, levando prosperidade aos produtores, aquecendo a economia, gerando emprego e renda para a população tocantinense”, concluiu a presidente do Ruraltins, Miyuki Hyashida. (Ascom Ruraltins)