Palmas

O prefeito eleito Carlos Amastha anunciou a criação de uma nova pasta, a secretaria de Transparência e Controle Interno que será comandada por João Lira Braga Júnior que trabalhava também no Sebrae. O indicado disse que vai trabalhar com excelência buscando de fato a melhoria e qualidade das instituições.

O pepista oficializou também a indicação de José Mamédio de Oliveira para a pasta Extraordinária de Inclusão Social.  Segundo o prefeito a intenção é combater todas as formas de discriminação.  “Nunca na vida quero ver um palmense discriminado. Todos merecemos o mesmo respeito”, frisou Amastha.

Em sua fala, Mamédio que fundou e é presidente da Associação dos Maranhenses da capital falou das atribuições . “Esta indicação é resultado de sonhos que sonhamos juntos”, disse. “Inclusão social se faz a partir do momento em que as pessoas tem a coragem e humildade de saber ouvir e pensar que inclusão não é apenas para os excluídos financeiramente”, disse frisando que não vai decepcionar os palmenses.

O presidente do Instituto de Planejamento da capital, que também será criado, será  o ex-presidente e administrador da regional matriz do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) Luiz Masaru Hayakawa.

A área da comunicação terá uma pasta que será comandada por Raquel Oliveira, conforme já anunciado antes. Muito elogiada pelo prefeito, ela disse que está disposta a contribuir na missão.

A nova gestão terá também uma Agência de Turismo, responsável pela coordenação dos convênios e recursos da área. O escolhido para Cristiano Rodrigues que é advogado e empresário que falou da necessidade de expansão do setor.

Outra criação da nova gestão é a Fundação do Esporte que terá á frente Cleiton Álem de 24 anos que também é militante na área esportiva. Ele disse que não vai decepcionar Palmas.

Agricultura, Ciência e Tecnologia, Segurança Pública, Subprefeitura, PreviPalmas e outras pastas serão anunciadas posteriormente.

Fundação Cultural                                     

Luiz Teixeira será o presidente da Fundação Cultural de Palmas. Ele é médico residente e empresário. Ao anunciá-lo, Amastha disse que Palmas precisa valorizar as manifestações culturais principalmente as quadrilhas. O indicado disse que é possível implantar um projeto cultural para a capital. “Estou aqui pelo projeto da cultura”, disse.

Por: Maria José Cotirm

Tags: Carlos Amastha