Polí­tica

Foto: Divulgação

Em entrevista à Agência Estado nesta terça-feira, 8, o Primeiro Secretário da Camara, deputado Eduardo Gomes (PSDB), explicou um dos atos administrativos assinados esta semana pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS) na área de telefonia. 

"Estamos simplificando o serviço de telefonia móvel à realidade da portabilidade", justificou o deputado. Segundo ele, a Câmara perde dinheiro com a contratação de pacotes fixos para todos os 513 deputados. "Agora, o deputado vai poder fazer a opção por um pacote de serviço de telefonia celular que tenha um preço melhor", disse.

Segundo a matéria, às vésperas de sair da presidência da Câmara, Marco Maia assinou 14 atos administrativos com medidas em áreas como saúde e telefonia. Os atos foram aprovados em reunião da Mesa Diretora da Câmara no dia 19 de dezembro. Ficou definido que a Câmara não fará mais licitação para a contratação de operadora de celular. A partir de agora, os deputados poderão escolher a empresa de telefonia de sua preferência.

As contas de celular dos deputados são descontadas da cota para exercício da atividade parlamentar - conhecida como "cotão" -, que varia conforme a unidade federativa do parlamentar (vai de R$ 23 mil, no Distrito Federal, até R$ 34,2 mil, em Roraima). Esses recursos também podem ser utilizados para gastos com passagens áreas, combustível, locação de imóveis e serviço postal.

Um dos 14 atos dispõe também sobre o uso de assinatura eletrônica para a apresentação de projetos coletivos. Outra novidade é a simplificação do reembolso de despesas médicas dos deputados. (Fonte Agência Estado)