Saúde

Foto: Lia Mara

Procedimentos como remoção de cálculos dos canais biliares; detecção de estenoses (estreitamentos), obstruções, irregularidades e lesões dos canais biliares e de alterações do fluxo biliar e pancreático; avaliação de casos de icterícia; realização de biopsias e outros exames já estão sendo realizados no HGPP – Hospital Geral Público de Palmas. A conquista é possível graças a aquisição do aparelho duodenoscópio, cateter e demais acessórios para o tratamento através da técnica colangiopancreatografia retrógrada endoscópica ou CPRE.

Antes o serviço era terceirizado e realizado somente em Araguaína. Com o fim do convênio, os pacientes estavam sendo encaminhados para Goiânia ou Brasília. “O gasto público era muito grande. Tinha que usar UTI aérea muitas vezes, além de despesas com hospedagem dos familiares dos pacientes”, comenta o médico endoscopista responsável pelo procedimento, Edson Osshiro.

Outra vantagem é que essa técnica é menos invasiva, pois não envolve cortes externos. “A remoção de cálculos dos canais biliares, por exemplo, só era realizada através de cirurgia aberta. Isso aumenta os índices de complicações, de morbidade (infecções) e mortalidade”, comenta o médico.

O procedimento irá beneficiar pessoas como a manicure Stefane Feitosa da Silva, 25 anos. A jovem descobriu um problema durante a ultra-som e foi a segunda paciente a ser submetida ao procedimento no HGPP. "Eu sofro com as dores há oito meses e estou muito confiante com esse procedimento", ressaltou ela animada.

Até a próxima semana, os quatro pacientes que estavam agendados para cirurgia já serão atendidos. Além disso, pacientes de outros estados também serão atendidos no HGPP. A expectativa é realizar 02 procedimentos por semana, de acordo com a demanda que surgir. (Secom)

Por: Redação

Tags: Edson Osshiro, Hospital Geral de Palmas