Polí­cia

Foto: Divulgação

A Delegacia Estadual de Repressão a Conflitos Agrários – Derca divulgou, na tarde desta terça-feira, 15, o resultado das atividades desenvolvidas ao longo do ano de 2012. Inúmeros atendimentos foram prestados visando à manutenção da paz e a investigação de conflitos agrários motivados, sobretudo, pela posse de terras em propriedades rurais de todo o Estado do Tocantins.

Chefiada pela delegada Gladys Graciela Cury, a Derca tem desenvolvido um trabalho satisfatório na resolução de crimes de origem agrária na zona rural Tocantinense. Apesar do pouco tempo de atuação, já que foi criada apenas em Outubro de 2011, a delegacia tem combatido com pulso firme todas as ações delituosas pelas quais é responsável, o que pode ser demonstrado pela crescente redução das ações criminosas praticadas no campo.

Muitas prisões já foram feitas e várias investigações ainda continuam em andamento no sentido de apurar as devidas responsabilidades com o objetivo de fazer com que os culpados respondam por suas ações na justiça.

Permanentemente são realizados atendimentos nos acampamentos com maior índice de conflitos, a fim de que com a presença da polícia se inibam novas práticas criminosas e também para dar continuidade a procedimentos investigativos já existentes. Atualmente a Delegacia desenvolve uma importante operação referente à apuração de diversas tentativas de homicídios ocorridos em uma fazenda no município de Santa Fé do Araguaia, na região norte do Estado.

Até o momento já foram efetuadas cinco prisões temporárias, dez preventivas e quatro em flagrante totalizando 19 prisões cumpridas em decorrência de operações deflagradas pela Derca em pouco mais de um ano de operações. Todas as prisões efetuadas são em decorrência de investigações exclusivas da Delegacia de Conflitos Agrários, sem a participação da Polícia Militar.

Dentre os casos solucionados pela Delegacia de Repressão a Conflitos Agrários, está o desmantelamento de uma quadrilha que atuava há anos com furto e receptação de gado além de envolvimento em outros conflitos agrários, tais como ameaça e tentativa de homicídio,no município de Conceição do Tocantins, por conta da deflagração da operação “Curral Queimado”, que durou aproximadamente dez meses devido à complexidade das investigações.

 A operação Curral Queimado foi finalizada com o indiciamento de onze indivíduos, sendo que seis deles foram presos preventivamente. Nessa operação os policiais da Derca realizaram diligências não só no Tocantins, como também nos Estados de São Paulo e Mato Grosso, onde alguns dos indiciados residiam.