Polí­tica

Foto: Divulgação Marcelo visitou Amastha um dia antes das indicações de aliados Marcelo visitou Amastha um dia antes das indicações de aliados

A indicação do secretário de Agricultura da prefeitura de Palmas, Roberto Sahium e do de Luciano de Carvalho Rocha, que vai ocupar a Secretaria executiva de Infra-Estrutura gerou polêmica entre aliados da base do prefeito Carlos Amastha (PP) principalmente no PMDB metropolitano onde membros afirmam que tais auxiliares foram indicados pelo ex-governador Marcelo Miranda.

A expectativa do vereador Joel Borges era que ele e o deputado estadual Eli Borges pudessem indicar o titular da agricultura. Aliados de Amastha questionam o espaço que teria sido dado para Marcelo no governo. A nomeação de Sahium veio um dia depois de visita do ex-governador ao prefeito em seu gabinete.

Mesmo com este cenário de insatisfações conforme relataram aliados ao Conexão Tocantins, o ex-governador reafirmou que não fez nenhuma indicação ou sugestão de nome ao prefeito. “Fui fazer uma visita, não tratei de indicações. Os nomes foram escolha pessoal do prefeito. Foram indicações pessoais dele com base no currículo”, afirmou.

O ex-governador diz desconhecer alguma insatisfação na base de Amastha e no PMDB em razão dos nomes indicados. “ É gratificante ver que o prefeito escolheu estes servidores que trabalharam no nosso governo e tem serviço prestado mas não fui eu que indiquei”, reforça.

Com relação à nomeação do primo, Marcelo comentou que Carvalho tem ligação com o prefeito. Marcelo ainda ponderou: “Se eu tivesse indicado não ficaria atrás do muro”, frisou.

O prefeito Amastha disse após as indicações que as escolhas pelos nomes foram pessoais.

Partidos esperam

O PSB, PR e também PPS ainda aguardam espaço para indicações no governo. O PR inclusive pode condicionar o apoio à base do prefeito à indicação de uma secretaria.