Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Araguatins, município localizado a aproximadamente 600 quilômetros de Palmas, na região do Bico do Papagaio, autuou em flagrante delito, na tarde desta quarta-feira, 17 pelo crime de homicídio, Antônio de Jesus Marinho Leal, vulgo “Deduz”, 36 anos de idade. Antônio é acusado de assassinar a golpes de porrete, Natal Alves de Andrade de 62 anos de idade.

De acordo com informações do delegado regional Carlos Alberto Teixeira de Castro, responsável pelo caso, o crime aconteceu por volta das 15h40, quando o acusado, pessoa conhecida na comunidade por ser um usuário de drogas, chegou até a marcenaria de propriedade da vítima, visivelmente sob efeito de drogas, e, sem nenhum motivo aparente, armou-se com um pedaço de madeira e se encaminhou em direção ao comerciante dizendo que iria matá-lo.

Natal tentou fugir de seu agressor, mas tropeçou no batente da porta de seu estabelecimento comercial e caiu ao chão. Nesse momento o acusado lhe desferiu várias pauladas na cabeça o que veio a ocasionar a morte da vítima de forma instantânea.

Após a prática do homicídio, populares investiram contra o criminoso, imobilizando-o enquanto esperavam pela guarnição da Polícia Militar que ao chegar, o conduziu para a Delegacia de Polícia de Araguatins, onde o mesmo foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil.

Ao ser interrogado pela autoridade policial “Deduz” alegou que nunca teve qualquer desentendimento com a vítima e não soube dizer quais os motivos que o levaram cometer o assassinato. Até a manhã o final da manhã desta quinta-feira, o acusado ainda se encontrava transtornado sob efeito das drogas que havia consumido.

A Perícia Técnica conduziu a vistoria no local do crime, ao passo que o corpo da vítima foi encaminhado para o Núcleo de Medicina Legal de Augustinópolis para a confecção do laudo de exame cadavérico.

O preso Antônio de Jesus Marinho Leal foi recolhido à carceragem da Cadeia Pública de Araguatins onde permanecerá a disposição do poder judiciário.(Ascom SSP) (Atualizada às 17h50)