Estado

Foto: Esequias Araújo

O Governo do Estado aguarda apenas a conclusão do processo licitatório e uma trégua do período de chuvas para dar início aos investimentos em infraestrutura dos 10 primeiros municípios, através do PDRIS – Programa de Desenvolvimento Regional Integrado Sustentável, em parceria entre o Estado e o Banco Mundial. A informação foi prestada na manhã desta segunda-feira, 21, pelo secretário de Infraestrutura, Alexandre Ubaldo.

A licitação em andamento, que inclui vigas para pontes, contemplará dez municípios da região central-oeste do Tocantins, divididos em dois lotes, do total de 72 municípios previstos pelo programa para todo o Estado. O primeiro destes lotes é formado por Chapada de Areia, Monte Santo, Divinópolis, Marianópolis e Caseara. O segundo é integrado por Miranorte, Miracema do Tocantins, Dois Irmãos, Abreulândia e Araguacema, com o custo de cada lote girando em torno de R$ 7 a 8 milhões.

Conforme Alexandre Ubaldo, falta para ser encaminhado pelo Governo do Tocantins ao Bird – Banco Internacional para Reconstrução (Banco Mundial) apenas o laudo de Análise de Viabilidade Técnica, Ambiental e Econômica das obras previstas nos municípios listados, com base em audiências públicas, mediante prioridades apontadas pela população de cada município.

Aproxima-se de 50 o número de municípios que já realizaram suas audiências públicas. Depois do final de ano, está sendo retomada a conclusão para a realização das demais, prevista para os próximos meses, adianta o secretário de Infraestrutura, destacando que o pensamento do governador Siqueira Campos é de que com realização destas obras, deverão ser minimizadas as dificuldades enfrentadas hoje pela população dos municípios.

As obras de infraestruturas do PDRIS abrangem melhorias urbanas em obras e serviços, projetos de desenvolvimento sustentável, abertura e conservação de estradas, obras em estradas vicinais com construção de pontes de até 30 metros de extensão, bueiros, aterros e outras benfeitorias. (Secom)