Estado

Foto: Lia Mara / Secom

Decreto do governador Siqueira Campos publicado nesta quinta-feira, dia 23, permite que todos os servidores públicos estaduais do Tocantins possam negociar suas consignações em até 84 meses (sete anos). Antes, o período máximo era de 60 meses (cinco anos).

A medida, com potencial para beneficiar cerca de 36 mil servidores, foi anunciada no início da noite desta quarta-feira pelos secretários estaduais de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos, e da Administração, Lúcio Mascarenhas. Os dois secretários fizeram questão de dar a boa notícia em entrevista coletiva aos meios de comunicação na sala de reuniões do Palácio Araguaia, durante encontro de integrantes do primeiro escalão do Estado com 16 prefeitos tocantinenses.

O secretário Eduardo Siqueira explicou que a possibilidade de extensão do prazo vai provocar uma competição dos bancos para buscar a renegociação dos financiamentos dos servidores. “É claro que isso vai trazer uma queda nos juros”, destacou Eduardo Siqueira, ao ressaltar que a medida também permitirá o funcionário estadual com mais de um empréstimo agrupar todos em uma consignação apenas e com juros mais baixos.

Ao falar do decreto aos jornalistas, Eduardo Siqueira ainda explicou que a extensão do prazo também é válida para novos contratos, ou seja, servidores que queiram obter empréstimos vão poder pagar a dívida em 84 parcelas. “Com certeza nós vamos movimentar a economia do Estado com essa iniciativa”, afirmou.

Conforme o decreto, a extensão do prazo é válida para negociações de 1º de fevereiro até 31 de maio deste ano. Depois, o prazo máximo volta a ser de 60 meses.

Data-base

O secretário Lúcio Mascarenhas acrescentou, ainda, que caso os sindicatos de servidores públicos estaduais aceitem a proposta do governo para pagamento da data-base, os funcionários do Tocantins que quiserem buscar empréstimos, além do prazo mais extenso, terão uma margem financeira maior, pois poderão negociar já com acréscimo da reposição da inflação no salário.

Atualmente, o Estado possui 72 mil operações de consignação e, destas, 64 mil podem ser renegociadas com a extensão do prazo. (Secom)