Estado

Foto: Divulgação

Uma falha no sistema da Secretaria Estadual da Administração estaria impedindo o reconhecimento dos nomes de alguns servidores aptos a progredir. Isso foi o que o Governo do Estado informou para justificar a demora da progressão de profissionais da enfermagem e demais categorias. Na última terça-feira, 22, foi publicada no Diário Oficial do Estado, a Portaria 020, que constitui a Comissão de Gestão, Enquadramento e Evolução Funcional do Quadro Geral (CGEFG) responsável pelos atos relativos ao Enquadramento e à Evolução Horizontal e Vertical do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) dos servidores públicos da Saúde do Quadro Geral.

De acordo com a portaria, a Comissão irá se reunir todos os meses, ou extraordinariamente, quando houver necessidade, sempre que convocada pelo presidente ou 2/3 dos membros titulares.

O presidente do Sindicato dos Profissionais da Enfermagem do Estado do Tocantins (SEET), Ismael Sabino da Luz, vai continuar acompanhando todo o processo. “Essa comissão é nossa aposta. Vai ser um canal direto e mais rápido para discutir essas questões”, disse o presidente acrescentando que está sendo aguardada para esta semana a publicação do ato de progressão e de concessão das progressões dos servidores da enfermagem.

O Estado está na dependência da implantação de um sistema junto à folha de pagamento. A partir dessa implantação o sistema identificará os servidores que estiverem aptos à progressão e consequentemente o seu posicionamento na tabela de progressão. “Vamos ficar em cima pra cobrar o que isso ocorra o mais rapidamente possível”, garantiu o presidente que não irá aceitar que profissionais da enfermagem concursados fiquem fora da tabela.

Já havia ficado acordado entre o Governo e a bancada Sindical que até dezembro de 2012 aconteceria os atos de publicação dos nomes dos servidores com direito a progressão e de concessão dos benefícios. “Iremos acompanhar e deixar os profissionais de Enfermagem informados quanto ao andamento de todo o processo, para tomarmos as medidas necessárias para que os direitos sejam respeitados”, finalizou o presidente. (Assessoria de Imprensa)