Estado

Foto: Divulgação Um dos grandes entraves para o mercado tocantinense de pescado são resoluções da Anvisa segundo Miyuki Hyashida Um dos grandes entraves para o mercado tocantinense de pescado são resoluções da Anvisa segundo Miyuki Hyashida

Antes da chegada à cidade de Aguiarnópolis, a comitiva que acompanha o governador Siqueira Campos (PSDB) acabou sendo forçada a fazer uma parada no município de Carolina - MA por conta do mau tempo na cidade onde a inauguração da sala multifuncional será realizada. A sala deverá atender municípios tocantinenses e maranhenses com espaço para capacitação, encontros e incentivo à produção de pescado e outras atividades aquícolas na região.

O evento oficial conta com a presença dos governadores do Tocantins e do Maranhão, além de secretários estaduais e do ministro da Pesca e da Aquicultura, Marcelo Crivella.

Produção de pescado

Com uma grande capacidade de produção de pescado, o Tocantins vem almejando ocupar uma colocação de destaque no setor. Para isto, conta com um espelho d’água de cerca de 500 km², somando os lagos das usinas hidrelétricas de Lajeado, Peixe e Estreito – na divisa com o Maranhão.

Neste cenário, o Governo do Tocantins tem adotado políticas de incentivo à formação de pequenos produtores e para a chegada de grandes indústrias pesqueiras e frigoríficos brasileiros.

No setor de pequenos produtores, o Estado, em conjunto com a Confederação de Agricultura e Pecuária Brasileira (CNA), tem facilitado o acesso a licenciamentos, principalmente através da Licença Ambiental Unificada (LAU). “É através dos licenciamentos que começa a haver a adequação junto a órgãos como Naturatins, Ruraltins e Secretaria da Agricultura”, explicou a presidente do Ruraltins, Miyuki Hyashida.

De acordo com a gestora, no próximo final de semana, os municípios de Brejinho de Nazaré e Almas receberão cerca de 100 licenciamentos a pequenos produtores de peixe, para que eles possam dar continuidade em seus trabalhos.

Grandes empresas

Para a atração de grandes indústrias do setor de pesca, o Estado, juntamente com o Ministério da Pesca e Aquicultura, está realizando o zoneamento e o mapeamento das áreas passíveis de instalação de tanques-rede. “A partir da finalização deste estudo, já temos 'n' empresas de grande porte com interesse em se instalar no Estado”, disse sem antecipar nomes das empresas, por sigilo pedido por suas diretorias.

Além disso, os órgãos estaduais responsáveis pelo setor agrícola, vem firmando parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa), no sentido de capacitar extensionistas.

Entraves

Um dos grandes entraves para o mercado tocantinense de pescado, são resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que determinaram índice zero para salmonela no pescado produzido no Brasil. De acordo com Miyuki Hyashida, este índice é uma espécie de reserva de mercado imposto por grandes produtores de peixe, como Chile e Vietnã. “Não existe índice zero para salmonela. É preciso que tenha uma regulamentação, mas que seja coerente”, ponderou.