Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado do PSDB, aliado do governador Siqueira Campos (PSDB), Freire Júnior afirmou ao Conexão Tocantins que a reforma administrativa feita pela atual gestão é “mixuruca”. “ A reforma está aquém daquilo que deveria estar. Ela  é mais uma tentativa de ajustar a máquina para os compromissos de governo mas acho que ficou aquém. Deveria ter avançado mais no enxugamento da máquina”, salientou o parlamentar ao Conexão Tocantins no final da manhã desta quinta-feira, 28.

Para o tucano, faltou “mais amplitude e mais amplidão” na reforma para que assim a máquina ficasse mais enxuta.

Mesmo com as críticas ao governo, Freire Júnior saiu em defesa do nome do secretário Eduardo para ser o próximo governador do Estado. Ele defende inclusive que Eduardo já comece as articulações. “ O Eduardo é o melhor quadro que o Tocantins já tem. É um cara preparado que conhece o Estado com muita profundidade mas ele precisa começar a andar e diminuir as arestas e desgastes que eventualmente possam ter com relação a ele”, fisou.

De acordo com o parlamentar o secretário deve colocar “ a cara a tapa” na busca e consolidação de uma possível candidatura.

Estradas                          

O deputado criticou também a situação das estradas e rodovias do Sudeste do Estado, que segundo ele, estão numa situação caótica. Ele conta que já fez gestão de várias maneiras, tanto formalmente através de requerimento como pessoalmente, junto à pasta responsável mas não obteve sucesso.

 A melhoria das estradas foi foco de outro requerimento apresentado nesta semana pelo deputado estadual Marcelo Lelis (PV) que visitou vários municípios da região no final de semana. “ Ali nas estradas do sudeste é mais que negligência, é um descado com estradas por parte do governo com a região”, frisou. Freire Júnior chegou a pedir anti-subscrição do requerimento de Lelis, segundo ele, como forma de protesto para que o governo se concentre em resolver o problema.

Outro fator que agrava a situação, na opinião do deputado, é a falta de representação política na região. “ Falta representação política ali. Chegamos a ter seis deputados e hoje só tem eu. A região perde com esse esvaziamento ou perda da responsabilidade política”, opinou. As rodovias, segundo ele, não se recuperam mais e é necessário a reconstrução da malha asfáltica integralmente , situação gerada, segundo ele, por gestões passadas. “ E a culpa é principalmente do Marcelo Miranda”, frisou se referendo ao ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) que segundo ele foi inerte na sua gestão com relação à região.

O problema nas rodovias se estende por todo o Estado, conforme o deputado que citou ainda o trecho entre Colmeia e Couto Magalhães. O parlamentar, sempre crítico na sua atuação, disse ainda que paga uma fatura altíssima pelas suas franquezas com relação ao governo atual.