Polí­tica

Foto: Divulgação

A compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pela Petrobras deverá ser investigada pelo Ministério Público (MP). O procurador Marinus Marsico encaminhou denúncia sobre o caso, que poderá ser apurado pelo MP e também pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Em entrevista ao jornal O Globo, ele disse que o negócio empreendido pela Petrobras tem “evidências muito fortes de atos lesivos ao patrimônio público”.

Em matéria divulgada nesta última quinta-feira, 28 de fevereiro, no Site do PSDB, o deputado federal Eduardo Gomes (PSDB), disse que a medida é positiva e deverá acrescentar mais transparência. “É preciso que haja mais investigações sobre a Petrobras. Os acionistas e a população em geral precisam saber como o governo do PT tem estragado a credibilidade de uma das maiores empresas do mundo”, declarou.

Gomes acredita que o debate sobre os atos administrativos da Petrobras precisam estar no foco da discussão política ao longo de 2013. Casos como o de Pasadena, nos quais os prejuízos alcançam cifras monumentais, comprometem, para o deputado, não apenas a estatal por si só, mas também os pequenos acionistas que nela investiram. Em 2010, a capitalização mobilizou R$ 120 milhões – a maior da história – e grande parte deste patrimônio foi oriundo de pessoas que aplicaram montantes próximos a R$ 200.

A aquisição da refinaria foi realizada pela Petrobras em 2006, em parceria com a belga Astra Oil. No ano passado, a estatal pagou R$ 820 milhões ao grupo europeu para assumir o controle integral dos equipamentos. O negócio foi executado a despeito da produtividade nula registrada na refinaria de Pasadena até então. (Com informações da Agência PSDB)