Campo

Foto: Divulgação

Integrantes da Seagro – Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário e do grupo espanhol Tragsa - Empresa de Transformação Agrária - se reuniram na manhã desta segunda-feira, dia 4, para discutir o termo operacional, para implantação do Circa - Centro Internacional de Referência em Tecnologia de Irrigação e Agricultura de Baixo Carbono.  O objetivo do Circa é ser uma importante referência em sistemas de irrigação para toda a Amazônia Legal.

O termo operacional é uma etapa do protocolo de intenções, que foi assinado no dia entre 02 de fevereiro, no Palácio Araguaia, entre o Governo do Tocantins, CNA – Confederação Nacional da Agricultura e a espanhola Tragsa.

Na manhã desta segunda, o secretário executivo da Seagro, Ruiter Pádua, analisou o termo operacional, que ainda será encaminhado à Procuradoria Geral do Estado. O documento foi entregue pelo gerente da Tragsa no Brasil, Félix Dias Santos, e pelo conselheiro José Maria Gomez Nieves, da embaixada da Espanha.

“O Circa possibilitará a formação de mão de obra, de produtores e de técnicos para as tecnologias de irrigação, que são fundamentais para o desenvolvimento do nosso agronegócio”, afirmou Padua, acrescentando que “Temos projetos, como o Prodoeste, que necessitaram de produtores e técnicos capacitados com as tecnologias de irrigação”.

Durante a reunião, o secretário executivo ainda lembrou que o Tocantins possui uma área de 4,8 milhões de hectares, em potencial para irrigação – atualmente, cerca de 100 mil hectares são irrigados.

Circa

Trata-se de um centro de excelência para identificação, desenvolvimento e normatização de sistemas de irrigação e fomento à agricultura de baixo carbono que permita o desenvolvimento sustentável e a obtenção de benefícios sociais, econômicos e ambientais na região do Estado de Tocantins e de toda a Amazônia legal.

Tragsa

O grupo Tragsa, empresa estatal espanhola atua desde 1977 na proteção e conservação da natureza e no desenvolvimento rural, na prestação de serviços de emergência e na assistência técnica para as atividades ambientais, agrícolas e florestais. A Tragsa tem presença em outros países da América Latina, como Bolívia e Nicarágua. (Ascom Seagro)