Polí­tica

Foto: Divulgação

O ex-governador Carlos Gaguim (PMDB) falou ao Conexão Tocantins na noite desta segunda-feira, 11, sobre o parecer da procuradoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral pela cassação do atual governador Siqueira Campos (PSDB) e do vice, João Oliveira (PSD). “Minha expectativa é para assumir o governo e já estou me preparando para isso”, salientou. Quem assina o parecer é a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau.

Gaguim foi um dos autores do Rced protocolado ainda em 2011 que acusa o governador por abuso de poder econômico nas eleições de 2010, uso indevido de veículo de comunicação e compra de votos. “Isso provou que eu não perdi a eleição e que o atual governo não venceu de fato”, frisou.

A PGE questionou a veiculação de 64 outdoors na campanha. “A gravidade do fato aqui reside no alcance da propaganda realizada por meio de outdoors, seu custo e, principalmente, a relutância dos partidos envolvidos em retirar a propaganda em questão – demoraram 23 (vinte e três) dias para cumprir a determinação judicial de retirada”, consta no parecer.

“Há elementos nos autos que demonstram que os recorridos utilizaram-se de uma estratégia ilegal de propaganda eleitoral extemporânea, no sentido de alavancar sua candidatura e atacar a imagem do recorrente Carlos Henrique Amorim, circunstância que autoriza o provimento do presente recurso contra expedição de diploma , com a consequente cassação de seus diplomas”, consta no parecer da Procuradoria.

O peemedebista já faz planos para caso venha assumir o governo. “ Estamos confiantes que vamos tomar posse e a primeira coisa que vamos fazer é revogar todos os decretos principalmente os da polícia”, frisou citando também que caso volte ao governo vai valorizar os servidores públicos.

Após o parecer da Procuradoria a ministra relatora Luciana Lóssio vai analisar o processo e depois pedir pauta. O advogado que assina o Rced é Solano Donato Damascena. “Quero agradecer ao meu advogado que está de parabéns pela atuação brilhante neste processo”, disse Gaguim.

Se o TSE seguir o parecer da procuradoria e o governador realmente for cassado o Estado poderá passar novamente por uma eleição indireta assim como foi em 2009 quando Marcelo Miranda deixou o governo e Gaguim foi eleito governador tampão pelos deputados.

Além de Gaguim, foram autores da ação o deputado federal Júnior Coimbra e o estadual Eduardo do Dertins (PPS) ambos estão próximos do governo atualmente.