Estado

Foto: Divulgação

Uma radiografia do consumo de Crack no Tocantins foi mostrada  pelo Observatório do Crack, da Confederação Nacional de Municípios (CNM) em um levantamento divulgado. Os dados se referem ao ano de 2010.

As cidades do Estado onde o consumo da droga é alto são: Araguatins, Cachoeirinha, Palmeiras do Tocantins, Darcinópolis, Wanderlândia, Goiatins, Barra do Ouro, Tupiratins, Caseara, Miracema, Lajeado, Rio Sono, Paraíso do Tocantins, Pugmil, Brejinho de Nazaré, Lagoa da Confusão, Formoso do Araguaia, Araguaçu, São Valério de Natividade, Natividade, Paranã, Porto Nacional, Axixá, São Sebastião do Tocantins, Chapada da Natividade, Lagoa da Confusão e Formoso do Araguaia.

Em 20,8% dos municípios, incluindo Araguaina e Gurupi,  o consumo é considerado alto. O problema de controle do tráfico vai além de campanhas educativas por parte das prefeituras e passa por um combate mais efetivo por parte dos órgãos e políticas públicas efetivas. Em 49 cidades do Estado o número de casos de consumo de crack está abaixo do nível de preocupação porém é crescente.

Os municípios são: Presidente Kennedy, Carmolândia, Buriti do Tocantins, São Miguel do Tocantins, Tocantinópolis, Nazaré, Angico, Riachinho, Araguanã, Santa Fé do Araguaia, Babaçulândia, Filadélfia, Palmeirante, Nova Olinda, Bandeirantes do Tocantins, Colinas do Tocantins, Itacajá, Bom Jesus do Tocantins, Maurilândia do Tocantins, Recursolândia, Aliança do Tocantins, Cristalândia, Rio dos Bois, Dois Irmãos do Tocantins, Couto de Magalhães, Abreulândia, Pium, Barrolândia, Aparecida do Rio Negro, Santa Tereza do Tocantins, Silvanópolis, Almas, Porto Alegre do Tocantins, Dianópolis, Peixe, Alvorada, Figueirópolis, Talismã, Palmeirópolis, Aurora do Tocantins, Nova Rosalândia, Chapada de Areia, Taipas do Tocantins, Conceição do Tocantins, Praia Norte, Pedro Afonso, Novo Alegre, Lizarda do Tocantins e Dueré.

Os números mostram ainda que em Augustinópolis, Santa Rosa do Tocantins, Taguatins, Ipueiras, Luzinópolis, Arraias, Aragominas, Arapoema, Bernado Sayão, São Bento do Tocantins, Itaporã do Tocantins, Tupiranã, Lagoa do Tocantins, Monte do Carmo, Fátima, Cariri do Tocantins, Rio da Conceição, Jaú do Tocantins, São Salvador do Tocantins, Pequizeiro, Aguiarnópolis, Tupirama, Ananás, Juarina, Fortaleza do Tabocão, Oliveira de Fátima e Dianópolis o consumo é considerado baixo. São 27 municípios ao todo.

Conforme os números em Carrasco Bonito, Esperantina, Muricilândia, Itaperatins, Goianorte, São Félix do Tocantins, Lavandeira, Monte Santo do Tocantins não há consumo de crack.

Fora

A capital Palmas, onde infelizmente o consumo de crack vem crescendo assustadoramente não teve dados computados no levantamento. Além da capital firam fora da análise: Guaraí, Sampaio, Combinado, Taguatinga, Ponte Alta do Bom Jesus, Novo Jardim, Sandolândia, Sucupira, Mateiros, Ponte Alta do Tocantins, Novo Acordo, Santa Rita do Tocantins, Crixás do Tocantins, Marianópolis, Tocantínia, Miranorte, Araguacema, Colméia, Brasilândia do Tocantins, Pau D’arco, Xambioá, Piraquê, Luzinópolis, Sítio Novo.