Estado

Foto: Divulgação

O promotor de Justiça da comarca de Araguatins, Adriano Zizza Romero vai pedir informações oficiais ao governo do Estado sobre o contrato que foi publicado no Diário Oficial do dia 27 de abril que trata da doação de R$ 7800 para realização do show da dupla Gean e Genaldo em Araguatins no último sábado, 30.

Não houve nenhuma denúncia sobre o caso mas o promotor vai se embasar principalmente em matérias publicadas na imprensa. O Estado terá 30 dias para apresentar as explicações para o MPE.

A polêmica começou com matéria nesta segunda-feira, 1º, que mostrou que a Festa que aconteceu com a dupla na cidade foi na verdade particular e ocorreu numa Pousada de propriedade de familiares do presidente do TCE, Wagner Praxedes. Após a repercussão o governo informou que o contrato foi cancelado mas tal ato não foi publicado no Diário Oficial.

Segundo o governo a indisponibilidade da dupla para fazer o show na cidade na data motivou o cancelamento do contrato mas o integrante da dupla Ginaldo negou ao Conexão Tocantins que a apresentação tenha sido desmarcada por eles. Consultas feitas no Siafem ainda na manhã desta terça-feira, 2, mostraram que a ordem de liquidação do valor para a empresa responsável pelo show foi dada também no dia 27. Mas só no final da tarde do mesmo dia o governo apresentou cópia do comprovante de cancelamento do empenho do contrato. O assunto gerou polêmica e motivou inclusive um pedido do deputado estadual Sargento Aragão (PPS) para que o TCE averigue tal contrato.

A sócia majoritária da Pousada, Sebastiana Praxedes negou que tenha recebido recursos públicos para a festa particular e afirma ter pago cachê de R$ 3700 para os cantores.

O secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos se manifestou sobre o assunto e segundo ele, o absurdo não chegou a acontecer. “Não houve o pagamento, nenhum centavo! O cancelamento evitou o pior e mais grave. A verdade é que o absurdo não aconteceu!”, informou o secretário.