Campo

Foto: Divulgação

A parcela da prestação (contrapartida) do Programa Minha Casa Minha Vida (Rural e Urbana), a dona de casa poderá reverter na aquisição de utensílios domésticos como TV, forno microondas, parabólica e outros eletrodomésticos. O anúncio foi feito nesta sexta, 5, pela senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, aos prefeitos e representantes de 80 municípios do Estado reunidos na Capital para capacitação de mobilizadores do Minha Casa Minha Vida Rural no Tocantins.

O encontro, que foi realizado no auditório da ATM, teve a presença do presidente da Associação Tocantinense dos Municípios, Leonardo Cintra, parlamentares e secretários de Estado. A informação foi antecipada à Senadora pela própria presidente Dilma Roussef que garantiu não faltar recursos para atender a demanda de moradias no campo no Tocantins. Kátia Abreu informou também aos prefeitos a sinalização positiva da Presidente para a construção de 35 mil casas populares urbanas no Estado, dentro de projeto elaborado pela Secretaria Estadual de Habitação, que a  própria Senadora entregou à Dilma Roussef em audiência no Palácio do Planalto.

A senadora Kátia Abreu destacou ainda que 50 municípios já encaminharam demandas do Programa Minha Casa Minha Vida Rural à Federação da Agricultura do Estado, envolvendo 2 mil e 787 famílias. A cota inicial da Caixa Econômica Federal era de apenas 1 mil e 400 casas, número agora alterado com a decisão da presidente Dilma Roussef de atender toda a demanda do Tocantins.

O 1º Seminário de capacitação de mobilizadores do Programa Minha Casa Minha Vida Rural (MCMVR) ocorrido durante toda a manhã desta sexta-feira, 5, lotou o auditório  da Associação Tocantinense  dos Municípios. O evento, realizado pela Federação de Agricultura e Pecuária do Tocantins (FAET), apresentou para as mais de 200 pessoas presentes, todo o procedimento para a execução do convênio do programa em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Durante a abertura do Seminário, a presidente do Sistema CNA/Faet/Senar relatou também os números alcançados pelo MCMVR durante os primeiros 13 meses. “Dos cinquenta municípios que já encaminharam demanda, já visitamos 19, o que resulta em 1098 famílias visitadas, habilitando 644 famílias. Já estão com processo em trâmites na Caixa, 468 casas, além das 40 em processo de construção”, afirmou Kátia Abreu.

A Senadora falou ainda da necessidade da parceria efetiva dos mobilizadores para uma maior agilidade nos trâmites do processo da execução dos convênios, para se chegar à construção das casas. “Das 1.098 famílias visitadas de demandas encaminhas pelos mobilizadores dos 50 municípios, cerca de 50% não se enquadravam nas exigências do programa e não podem ser beneficiadas. Precisamos nos unir, vocês precisam ajudar na seleção das famílias para que o processo seja agilizado”, falou a Senadora Kátia Abreu.

O prefeito de Chapada Natividade, Djalma Rios, primeiro município a receber as casas do programa, compartilhou a experiência de ter conseguido 40 casas para os moradores da zona rural do município. “Quando a gente visita essas pessoas que ganharam as casas, temos a certeza de que valeu a pena o esforço. É gratificante saber que ajudamos uma pessoa a realizar o sonho da casa própria”, relatou Rios. (Ascom)