Polí­tica

Foto: Divulgação

Os vereadores João Alberto de Sousa (PSD), Gleycinara Bandeira da Silva Coimbra (PSD) e Rogerio Mendonça Rocha (Rogerinho) (PSD) pretendem denunciar ao Ministério Público Estadual algumas nomeações de familiares do atual prefeito da cidade,Ailton Franscisco da Silva (PT). “Vamos levar todos esses fatos ao conhecimento do Ministério Público”, confirmou ao Conexão Tocantins o vereador João Alberto.

A secretária de gabinete, Thayrys César Pires é sobrinha da primeira-dama Sandra Pires, já Carlos Magno Pires Milhomem que é diretor de controle ambiental é cunhado do prefeito.  A nomeação de parentes de outro grau como Catarina Cássia Teodoro, secretária de Assistência Social, esposa de um primo da primeira-dama e ainda de um sobrinho de Sandra, Victor Mesquita Milhomem nomeado como assessor parlamentar também serão questionadas pelos vereadores.

Wesley Celestino David, filho do prefeito, é o secretário municipal de Finanças, o irmão da primeira-dama, Paulo Henrique também foi nomeado segundo os parlamentares. Os vereadores da base foram contemplados com indicações já que Luismar Wanderlei, por exemplo, tem dois irmãos nomeados na administração. O vereador Leomar Wanderley que comanda a pasta de obras é irmão do vereador Luismar Wanderley.

Dentre as nomeações os vereadores argumentam que há também servidores fantasmas. Segundo eles, Divino de Sousa Coelho e Hamilton de Andrade recebem mas não cumprem expediente.

Além da contratação dos parentes, os vereadores do PSD acusam ainda o gestor de abuso de autoridade e improbidade administrativa. Eles alegam que foram criados arbitrariamente, vários cargos que não existem no plano de cargos, carreira e salários do município sem que, se quer, fossem submetidos a apreciação da Câmara Municipal. Alguns destes cargos seriam Assessor parlamentar, secretaria de gabinete, diretoria de controle ambiental, diretoria de extensão rural, diretoria de pavimentação e iluminação pública. Atos nas áreas de compras e serviços também foram questionados.

“Se em atos de tamanha relevância como realização de compras e serviços, contratos e nomeações de pessoas que cuidarão dos interesses da nossa população, Vossa Excelência não observa preceitos mínimos de legalidade e moralidade, o que podemos esperar de uma gestão que já começou tortuosa?”, afirmam os vereadores na denúncia.

O Conexão Tocantins tentou entrar em contato com o prefeito mas ele não estava na prefeitura, segundo informaram servidores. Pelo telefone celular as chamadas foram encaminhadas para a caixa de mansagens. O espaço continua aberto para o posicionamento do gestor.