Estado

Foto: Divulgação

A situação atual do Consórcio Intermunicipal para Gestão Compartilhada da Bacia Hidrográfica do Médio Tocantins (CI-LAGO) foi um dos assuntos tratados na reunião realizada na tarde desta última terça-feira, 23, em Palmas. No encontro, organizado pela Superintendência de Assuntos Metropolitanos, também foi formada a nova coordenação do consórcio.

Além do presidente do CI-LAGO, prefeito Carlos Amastha, participaram da reunião os prefeitos de Porto Nacional, Otoniel Andrade; de Tocantínia, Muniz Araújo; de Ipueiras, Hélio Carvalho; de Lajeado, Márcia Carvalho, e de Miracema, Magda Borba. Também estavam presentes os secretários de Assuntos Jurídicos, José Roberto Gomes; de Governo e Relações Institucionais, Tiago Andrino; de Agricultura, Roberto Saihum; e o procurador-geral do Município, Públio Borges Alves. 

Ainda na ocasião, foi apresentado o histórico do CI-LAGO e o prefeito Amastha destacou os objetivos e os benefícios para o desenvolvimento das ações do Consórcio, colocando-se à disposição para auxiliar na busca de recursos para exploração do lago.

“Precisamos mudar a visão do consórcio, voltada apenas para compensação, e ter uma visão mais atuante, com mais possibilidades. Para Palmas, temos pleiteado diversos recursos junto ao Ministério das Cidades e podemos fazer essa ponte por aqui para buscar recursos para o CI-LAGO também”, destacou o gestor municipal.

Presente à reunião, o secretário de Governo e Relações Institucionais, Tiago Andrino, falou da importância da união dos associados para o uso múltiplo do lago. “O pescado é o objetivo unânime que todos manifestaram interesse. Podemos expandir os rendimentos, de maneira que se torne significativa na economia do Estado”, ressaltou.

Formação

Ainda durante a reunião, foi formada a coordenação técnica do grupo, assumida por Agostinho Araújo Rodrigues Júnior e Marcos Aires. Davis Miranda assumiu o administrativo e Itamar Xavier ficou como técnico responsável.

A próxima reunião está prevista para acontecer na terceira semana do mês de maio, quando será formado o conselho fiscal e discutidas alterações no estatuto.