Saúde

Foto: Divulgação


O Ministério da Saúde prorrogou a campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe até o dia 10 de maio. Devem se vacinar idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, mulheres no período de até 45 dias após o parto (em puerpério), pessoas privadas de liberdade, profissionais de saúde, além das pessoas que têm doenças crônicas do pulmão, coração, fígado, rim, diabetes, imunossupressão e transplantados.

Conforme dados parciais da Coordenação de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde – Sesau, até agora foram mais de 78 mil doses aplicadas o que corresponde a 36% de cobertura. A meta da campanha, que começou dia 15 de abril, é vacinar 80% do público-alvo.

O Ministério da Saúde recomenda aos municípios que não atingiram a cobertura adequada que intensifiquem as ações para que as pessoas sejam imunizadas, inclusive com abertura dos postos de vacinação aos sábados.

Em Palmas

 Com a meta de vacinação de 80% dos grupos prioritários, a Secretaria Municipal da Saúde (Semus) conseguiu imunizar 31,5% das 26 mil pessoas esperadas, conforme resultado parcial. A campanha se encerraria inicialmente no dia 26 de abril.


Segundo a coordenadora municipal de imunização, Juliana Araújo, a vacina contra influenza oferece imunidade contra  três vírus causadores da gripe e dimunui as chances de complicações da doença que podem desencadear pneumonia ou levar à morte.

Grupos prioritários


Por isso, explica a coordenadora, a vacina é exclusiva de grupos mais vulneráveis como gestantes, crianças  a partir de seis meses e menores de dois anos, idosos a partir de 60 anos,  mulheres em período pós-parto em até 45 dias e portadores de doenças crônicas como cardiopatas, portadores de diabetes, doenças respiratórias, renais, hepáticas, neurológicas, imunodeprimidos e obesos em grau III.

O que levar?


Para se vacinar, basta se dirigir a qualquer Unidade de Saúde da Família (USF) ou Policlínica da Capital com carteira de vacinas e identidade ou certidão de nascimento em mãos.

Conforme recomendação do Ministério da Saúde, portadores de doenças crônicas devem apresentar solicitação médica para receber a vacina.