Polí­tica

Foto: Divulgação

O prazo final para votação do projeto de Decreto Legislativo nº 02, de 18 de abril de 2013, que solicita a licença para que o prefeito Carlos Henrique Franco Amastha  (PP) se ausente do País para tratar de assuntos particulares nos períodos de  1º a 3 de maio e de 17 a 26 de maio, termina na terça-feira, 30.

O projeto estava na Ordem do Dia da sessão de ontem, 24, mas não foi votado em razão do presidente da Câmara Municipal de Palmas, major Negreiros (PP), e da Comissão de Constituição e Justiça terem solicitado vistas.

Sobre o novo pedido de licença do prefeito, o líder da oposição na Casa, vereador Iratã Abreu (PSD-TO), disse hoje, em seu pronunciamento, que não é salutar para a Capital as ausências do prefeito, especialmente neste período em que a cidade enfrenta sérios problemas relacionados à Saúde (dengue e insuficiência de recursos humanos), e à infraestrutura (buracos, limpeza).

Iratã afirmou que o prefeito tem a prerrogativa de viajar e de que não tem nada contra o presidente da Câmara, major Negreiros, assumir à Prefeitura, mas que não entende o porquê de viagens tão prematuras.

“Imagino que o prefeito tenha conhecimentos dos problemas que Palmas tem enfrentado e entendo que não é hora dele viajar”, ponderou Iratã ao ressaltar que o prefeito viajará para tratar de assuntos particulares, que podem ser entendidos como um descanso ou mesmo relacionados às suas atividades empresariais.