Polí­tica

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde garantiu nesta segunda-feira, 29, o pagamento de recursos na ordem de R$ 3.414.906,00 (três milhões, quatrocentos e catorze mil, novecentos e seis reais) para aquisição de um Acelerador Linear para o Hospital Regional de Araguaína.

A aquisição do equipamento, que é utilizado em tratamentos oncológicos, é fruto de pleito do senador Vicentinho Alves (PR/TO) junto ao ministro Alexandre Padilha. "O ministro atencioso à realidade enfrentada pelos pacientes que necessitam com urgência dos diagnósticos em tratamentos de câncer, além da própria demanda da infraestrutura hospitalar nessa especialidade, atendeu a solicitação que desde de 2008 vem sendo pleiteada por nós. Agradeço ao ministro Padilha pelo pagamento dos recursos que já estão disponíveis na conta do Governo do Tocantins para a mais rápida aquisição do Acelerador Linear", disse Vicentinho.

Os recursos são originários do Fundo Nacional de Saúde para serviços de Atenção em Saúde. O pagamento está dividido em três ordens bancárias de números - 2013OB813286; 2013OB813526 e 2013OB813528 - e o depósito já garantido na conta da Secretaria de Estado de Saúde.

"Essa é uma conquista muito importante para os pacientes em tratamento no Setor de Oncologia do HRA, para o Estado e para a região norte do país. Chegarmos à conclusão da liberação dos recursos é uma satisfação minha e de nossa equipe. É mais um serviço prestado a Araguaína, ao Tocantins e aos estados vizinhos que utilizam desse centro de tratamento e combate ao câncer", afirma o senador Vicentinho Alves.

Mais Informações

O Hospital Regional de Araguaína oferece tratamento de radioterapia para toda região norte do Tocantins e ainda atende pacientes do Pará e Maranhão.

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) apontam que, no Tocantins, o câncer de colo do útero representa maior incidência dentre vários tipos registrados, como o de próstata e o de boca. O número de pacientes em tratamento no estado é de 425 pessoas.

O que é o Acelerador Linear?

É um equipamento que permite precisão eficaz no tratamento a pacientes com câncer de próstata ou de mama, por exemplo. É um dispositivo utilizado dentro do serviço de radioterapia e que tem como função emitir radiações através de raios x de alta energia - com poder de penetração em tecidos humanos - ou elétrons acelerados (partícula beta), geralmente indicado para tratamentos superficiais.

No mundo, o setor de saúde pública debate que o ideal é que haja substituição de aparelhos que trabalhem com elementos radioativos pelo acelerador linear. Como depende de energia elétrica para que a radiação seja emitida, o Acelerador Linear é uma fonte mais segura com relação aos elementos radioativos. (Fonte: Brasil Escola)