Educação

As escolas do Tocantins que desejam realizar projetos sobre a questão do trabalho escravo ou o tráfico de pessoas têm até o dia 15 de maio para enviarem suas propostas para a 7ª edição do Fundo de Apoio a Projetos do Escravo, nem pensar! A ONG Repórter Brasil está oferecendo até R$ 1.500,00 para os projetos selecionados.

Poderão enviar projetos, as escolas que têm interesse de desenvolverem trabalhos pedagógicos com o tema “Trabalho e Migração: formas de combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas”. 

Também podem participar entidades e indivíduos da sociedade civil que desejam realizar atividades na escola ou na comunidade onde atuam. Os projetos selecionados serão desenvolvidos no período de 01 de junho a 30 de novembro de 2013.

O objetivo é disseminar informação sobre o problema e mobilizar as comunidades para combatê-lo. As propostas devem ser enviadas para o e-mail marina@reporterbrasil.org.br ou por fax (11) 2506 – 6576 ramal 20.

O edital com mais informações está no endereço http://escravonempensar.org.br/detnovidades.php?id=123. O apoio financeiro para os projetos são da ONG Repórter Brasil e do Ministério Público de Mato Grosso. A iniciativa vem sendo realizada desde 2007 e 80 projetos já receberam recursos para a execução.

No Tocantins 

Fazem parte da rede de luta contra o tráfico de pessoas e o trabalho escravo, oito municípios dos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí e Tocantins.

No Tocantins, o Centro de Ensino Médio Dr. José Aluísio da Silva Luz, localizado em Araguaína, desenvolveu o projeto ‘identificar para orientar’, que abordou o tema em todas as disciplinas, e na ocasião, os alunos produziram poesias, dramatizações e dissertações que foram publicadas em uma cartilha.

A equipe da Escola Estadual Norte Goiano, também de Araguaína, fez o projeto “estrada para a cidadania – erradicar para libertar”, no qual os professores relacionaram o tema trabalho escravo com o meio ambiente, e além dos trabalhos teóricos e práticos, promoveram uma caminhada ecológica. (Ascom Seduc)

Por: Redação

Tags: Repórter Brasil, Trabalho Escravo