Polí­tica

Foto: Ises Oliveira

Alguns deputados estaduais obstruíram as votações nas comissões da Assembleia Legislativa desta terça-feira, 7. A obstrução foi anunciada pelo deputado do PR, José Bonifácio mas teve manifestações contra. O motivo é porque os parlamentares querem que a votação da PEC 001/2012,  que trata da situação dos Remanescentes de Goiás seja colocada em votação na Casa de Leis e por isso travaram as votações dos projetos do governo. A PEC

 “Este momento não é oportuno. A PEC é importantíssima mas os outros são também”, frisou o líder do governo, Carlão da Saneatins, chamando os parlamentares á responsabilidade. O líder chegou a dizer que a obstrução vem de desencontro ao diálogo. O líder frisou que o governador determinou solução para os remanescentes de Goiás. “ A PEC não é causar de travar matéria aqui”, voltou a dizer.

Os deputados Stalin Bucar (PR) e Eduardo do Dertins (PPS) se colocaram contra a obstrução e afirmaram que tal ação prejudica os projetos que vão de encontro aos anseios da população.

Já Eli Borges, que também apoiou a obstrução, ponderou que é preciso que matérias que estão tramitando há mais tempo na Casa de Leis sejam analisadas. Segundo ele, a obstrução não vai inviabilizar os projetos recentes do governo.

Vistas

Mesmo com a intenção de obstruir a reunião das comissões deu quórum e os deputados estenderam o calor das discussões. O deputado José Roberto Forzani (PT) desistiu da obstrução e numa segunda estratégia começou a pedir vista nos projetos que estavam sendo colocados em pauta. Tal ação foi criticada por vários parlamentares inclusive pela colega de partido, Amália Santana que indiretamente se referiu a tal atitude ao pedir amadurecimento dos deputados na votação das matérias.Stalin Bucar (PR) chegou a fazer um apelo a José Roberto para que parasse de pedir vistas.

Porém mesmo com as discussões, José Roberto manteve a postura alegando que o regimento não está sendo cumprido na Assembleia com relação aos trâmites de votação na Casa de Leis. Diante da atitude do petista o líder Carlão da Saneatins começou a pedir vista em conjunto das matérias.

A PEC

A PEC, de autoria do deputado José Roberto Forzani,  garante, na própria Constituição Estadual, que os servidores remanescentes de Goiás passem para o regime próprio de previdência do Estado do Tocantins (IGEPREV). O Governo alega que essa mudança traria um impacto de mais de R$ 86 milhões e que não teria condições de arcar. O INSS, por sua vez, já avisou que não há a possibilidade de restabelecer os valores pagos até então pelos servidores.