Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado pediu com urgência à Secretaria Estadual da Administração (Secad) dados técnicos com relação à medida provisória que trata da inclusão dos remanescentes de Goiás no Igreprev. Segundo informou o presidente Cleiton Pinheiro ao Conexão Tocantins a intenção é analisar os critérios no governo e entender como será o funcionamento no novo regime.

 Um dos questionamentos é se os servidores automaticamente adquirem o direito de aposentar mesmo sem terem contribuído para o Igeprev. Outra observação é com relação ao impacto financeiro para o Igeprev já que a grande maioria dos remanescentes já possuem condições de se aposentar.

 As normativas para o cumprimento da MP ainda serão divulgadas pelo governo enquanto o Igreprev tem um mês para, após análise de uma comissão de servidores, publicar o nome de todos os beneficiados com a medida numa lista oficial.

Segundo o governo, as contribuições previdenciárias serão recolhidas em 90 dias ao Fundo de Previdência dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (FUNPREV).