Estado

Foto: Márcio Vieira

Foi apresentado em reunião na manhã desta terça-feira, 14, na Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), um projeto para otimização da infraestrutura energética nos municípios do Tocantins. O objetivo é realizar um estudo de viabilidade técnica para a elaboração de um plano que contribua com a redução dos custos do sistema público de energia elétrica. O trabalho será feito pelo grupo Elsamex, ligado à empresa indiana ITNL.

Na fase inicial, que deve ocorrer ainda este mês, será realizado um levantamento de dados para conferir quais são as demandas e necessidades de cada município. Segundo o diretor do grupo Elsamex, a empresa deve apresentar esses estudos em 30 dias. “O intuito principal é contribuir com um processo de eficiência energética com otimização do consumo e redução dos custos”, explicou Miguel Muniz.

Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Miracema do Tocantins, Lajeado, Miranorte e Palmas serão as primeiras cidades beneficiadas com o projeto. A escolha levou em consideração a participação dos municípios em outro projeto da empresa, que é a duplicação das rodovias que ligam estas cidades à capital.  “Nós ficamos muito interessados no projeto, mesmo porque atualmente o custo com energia elétrica é um dos maiores gargalos de minha cidade onde a população não paga a taxa de iluminação pública”, disse a prefeita de Miracema, Magda Borba.

Além da prefeita de Miracema, também conferiram os detalhes do projeto os gestores de Porto Nacional, Miranorte e Lajeado.

Rodovias

A empresa indiana ITNL está em fase de execução do estudo técnico que analisa a viabilidade de duplicação das rodovias que ligam Porto Nacional a Palmas; Palmas a Paraíso; Palmas a Lajeado; e Miracema a Miranorte. Esse levantamento está sendo realizado através de uma parceria entre a empresa e o Governo do Estado. O objetivo é definir uma concessão ou uma Parceria Público-Privada (PPP) para trabalhar nesses trechos.

A ITNL pretende investir US$ 1 bilhão no Brasil. Os primeiros projetos a serem desenvolvidos no país serão no Tocantins, no valor de R$ 1,3 milhão.