Palmas

Foto: Divulgação

O ex-prefeito de Palmas, Raul Filho comentou ao Conexão Tocantins o questionamento de donos de postos de combustível na Justiça e também de investigação do Ministério Público Estadual com relação á alteração de uso do solo de 11 imóveis na capital durante a sua gestão.

“O que nós fizemos foi um ato legal na busca de acabar com o cartel que é grande em Palmas e explora o contribuinte”, frisou. Ele negou irregularidade na transformação das áreas e frisou que cabe á justiça analisar.

Raul frisou ainda que se arrepende de não ter alterado mais áreas. “Deveríamos ter feito o triplo. Arrependo de não ter feito mais”, pontuou.

Sobre o argumento do MPE de que as doações foram direcionadas para parentes de ex-vereadores e inclusive empresários amigos de Raul com a intenção de gerar lucro com a venda das áreas o petista defende que houve critério para escolha e mencionou ainda que a procuradoria da sua gestão analisou previamente. “Não vejo que houve direcionamento”, retrucou.

O Conexão Tocantins tentou contato também com o ex-presidente da Câmara, Ivory de Lira, acusado pelo Ministério Público de participar ativa e diretamente de possíveis fraudes, mas ele não atendeu as ligações. O espaço continua aberto para o posicionamento do petista.