Estado

Foto: Divulgação

Os empregados públicos da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) se reuniram durante a tarde desta sexta-feira, 17, em Assembleia Geral Extraordinária para discutir o Acordo Coletivo 2013/2014 e optaram por não aprovar a íntegra da contraproposta enviada pela Universidade. Oito itens serão novamente discutidos entre a reitoria e os representantes do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO) nos próximos dias. Através de ofício, o SISEPE-TO comunicará oficialmente a Unitins de todas as deliberações da Assembleia Geral.

Convocada pelo SISEPE-TO, a Assembleia trazia como pauta o Acordo Coletivo 2013/2014 e a revisão geral anual 2013 (data-base). A cláusula referente à data-base foi aprovada. Os servidores concordaram com a mudança da data-base de 1º de março para 1º de maio de cada ano. Concordaram também que o índice para o pagamento da data-base 2013 será computado o do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado no período compreendido entre março de 2012 a fevereiro de 2013, que corresponde a 6,77%.

Durante a leitura e discussão dos itens da contraproposta, os empregados públicos consideraram pequeno o avanço com relação à primeira proposta entregue pelo SISEPE-TO, em 1º de março. A Assembleia, então, optou pela reabertura da negociação com a Unitins e discussão de 08 cláusulas que foram recusadas pela Universidade.

As cláusulas são sobre: empréstimo salarial de férias, auxílio-alimentação, implantação do Consultório de Apoio à Saúde do Trabalhador, Ginástica Laboral, atuação dos dirigentes sindicais dentro da Instituição, Revisão do Plano de Empregos ainda neste ano, auxílio-maternidade e licença amamentação. (Ascom Sisepe)