Campo

Foto: Divulgação

As Várzeas Tropicais do Tocantins tem atraído produtores de soja de todo o Brasil, a semente que é produzida nesta região já abastece os estados de Goiás, Maranhão, Bahia, Pará e Mato Grosso. A projeção para a safra deste ano é um crescimento de 21,7% na área de plantio, o que equivale a 504 mil hectares. Em 2012, foram plantados 414,4 mil hectares da oleaginosa.

De acordo com o balanço parcial da Adapec – Agência de Defesa Agropecuária, desde o dia 1º de maio quando iniciou o plantio, já foram plantados mais de 6 mil hectares, o que equivale a 15% da área produtiva. A Agência tem inspecionado a produção para prevenir e controlar a ferrugem asiática, principal praga da cultura. “Mesmo com a comprovação científica que a área tem baixo risco para proliferação da doença, efetuamos o monitoramento contínuo”, disse o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal da Adapec, Luís Henrique Michelin.

Entre as maiores vantagens de produzir na região é a possibilidade de ter duas safras anuais e o aumento de produção e produtividade, com baixo risco e em bases sustentáveis. Foi esta excepcionalidade que levou o empresário Oscar Stroschon, proprietário da Sementes Produtiva, de Formosa-GO, investir no Tocantins. “As Várzeas é um presente da natureza, porque possibilita atender o mercado nacional, avançar na geração de sementes com qualidade e permitir ao Brasil fomentar a pesquisa e levar vantagens com outros países”, disse.

Michelin afirma ainda que o período curto de armazenamento da semente também é um diferencial, já que o produtor faz seu cultivo na entressafra nas Várzeas e inicia o seu plantio da próxima safra em setembro. “No programa de melhoramento de sementes, para chegar à categoria disponível no mercado (S2), a pesquisa demoraria cerca de 10 anos para o lançamento de um material, nas Várzeas Tropicais este tempo cai pela metade. 

Investimentos

Para aumentar a capacidade de irrigação, o governo do Tocantins tem projeto para instauração do Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste do Tocantins (Prodoeste). Com isso, entre as ações está o abastecimento de água para lavouras subirrigadas, orçado em US$ 165 milhões. “Já na primeira etapa do Projeto, que contempla a construção de barragens nos rios Pium e Riozinho, 26 mil hectares de terra serão beneficiados com subirrigação”, disse o chefe da Unidade de Gerenciamento do Prodoeste da Secretaria Estadual da Agricultura, José Inácio.

As Várzeas é uma área contínua de potencial produtivo de mais de 1 milhão de hectares, que abrange os municípios de Lagoa da Confusão, Cristalândia, Dueré, Pium, Formoso do Araguaia e Santa Rita do Tocantins. (Ascom Adapec)