Palmas

Foto: Divulgação Capital registra crescimento populacional de 8% ao ano, segundo pesquisa Capital registra crescimento populacional de 8% ao ano, segundo pesquisa

Uma pesquisa que analisa o fluxo migratório e de crescimento da capital  mostra que pelo menos 77% das pessoas que vieram para Palmas disseram estar satisfeitas com a cidade. Outro índice apontado é que 53% dos entrevistados afirmaram que conseguiram ganho para a sua vida profissional. A pesquisa intitulada "Fatores determinantes da Migração em Palmas" foi feita pelo pesquisador Abrãao Lima com orientação de Tito Moreira como tese para título de Doutor em Economia de Empresas na Universidade Católica de Brasília.

O levantamento apurou ainda que e 24,5% dos entrevistados consideram que as chances aumentaram  para conseguir a casa própria. O índice dos que declararam que não recebem nenhum benefício do governo passou dos 80%.

Conforme os números levantados quase 20% dos palmenses vieram do Maranhão e quase 50% tiveram origem de outras cidades do interior do Tocantins. Para Lima, o dado da origem dos maranhenses surpreendeu. “ O IBGE em 2010 apontou que 14% eram maranhenses”, disse o pesquisador. Lima destacou que 48% dos entrevistados decidiram migrar para Palmas em busca de melhores salários e 45% em busca de empregos. A maioria dos que vieram, 59,7%, migraram sem terem vindo antes até a capital.

A pesquisa ouviu 1880 pessoas de todas as regiões da capital nos últimos meses do ano passado de 16 até 81 anos que responderam 34 perguntas informando dados como renda, origem dentre outros aspectos que contribuíram para a migração, conforme mostra a Pesquisa.

Segregação

O levantamento registrou também que apenas 24% dos moradores do Plano Diretor Norte e Sul se consideraram palmenses. Moradores das Aureny’s, Vila União e outros bairros mais afastados não responderam ou não se consideraram palmenses, fato que para o pesquisador mostra uma segregação social. “Das 34 perguntas do questionário tinha uma que perguntava o cidadão se ele era palmense já que tinha vindo de outra região. As pessoas que moram longe do plano diretor nas regiões mais distantes eles não se consideraram palmenses”, analisou o pesquisador em entrevista ao Conexão Tocantins. Segundo ele, 76% das pessoas moram nos bairros mais afastados por não terem tido opção de morar em outro local.

Conclusão

“No geral as pessoas vieram para Palmas para melhorar de vida. 48% vieram para melhorar a qualidade de vida e 76% dos migrantes estão felizes por terem migrado para Palmas. A conclusão mais importante é que eu calculei a probabilidade do indivíduo migrar através da Educação, a cada ano a mais a probabilidade da pessoa migrar aumenta em 18%”, disse. Segundo ele, a maioria das pessoas que vieram só para estudar não ficarão em Palmas. “Cada ano de estudo aumenta a probabilidade do indivíduo migrar novamente. Por que ele se forma e maioria vai para sua região ou vai para outra em que ele pode ganhar mais dinheiro”, disse.

Com relação ao crescimento populacional Palmas registrou em média 8% por ano perdendo apenas para Brasília que chegou a 10%.