Cultura

Foto: Divulgação Obra já foi apresentada no Cine Sesc, em Palmas Obra já foi apresentada no Cine Sesc, em Palmas

Pela primeira vez, a programação da TV Câmara, canal do legislativo federal, direciona as atenções para um filme produzido por um jornalista formado no Centro Universitário UnirG. A atração, que levou 14 meses para ser produzida, irá garantir 58 minutos em rede nacional através da TV pública. O Primeiro Assalto ao Trem Pagador, filme que coloca em cena 85 atores regionais, revive a contundente história de Zeca Vaccariano, o homem circundado de mistérios.

Mitos que misturados a personalidade autêntica do radialista Tchê Mendes, que revive José Antônio de Oliveira, o tal Zeca Vaccariano, compuseram a estética perfeita para estreia de Gabriel Sater, cantor, compositor e filho de Almir Sater,  como ator, vivendo o escriturário Carlos Gaethener.  

A obra coproduzida com Vilmar Sartori e o saudoso carnavalesco e jornalista, João Paulo Dantas, vai ao ar neste sábado, dia 08 de Junho ao meio-dia. Uma oportunidade singular para a produção, que segundo o diretor Ernoy Mattiello, cumpre o propósito de imortalizar um dos mais instigantes episódios da história catarinense. Mattiello ressalta  o critério utilizado pelas emissoras nacionais para a exibição de conteúdo, os quais além de qualidade técnica levam em consideração a relevância do assunto para a sociedade: “Fazer de um acontecimento histórico local tema para um documentário de interesse nacional exige além de feeling apurado do diretor, grande poder de convencimento e credibilidade”, afirma.

O 1º Assalto ao Trem Pagador teve pré-estreia na TV Paraná Educativa em Maio; agora o lançamento oficial do docudrama na TV Câmara inaugura uma série de exibições do filme na televisão brasileira. O momento é realização, e motivos de comemorações não faltam para Euzébio Vieceli, prefeito de Pinheiro Preto/SC, cidade que surgiu na região do atentado ao pagador anos mais tarde: “Sabemos da importância da documentação  cinematográfica deste episódio, marcando um momento singular na história. Reviver a saga de Zeca Vacariano é como voltar no tempo e desvendar segredos ocultos da trajetória de nossos antepassados”, conclui.

Além das grandes redes de televisão, o documentário que rememora o assalto ao trem pagador também está presente em mais de 400 canais alternativos. São canais universitários, educativos e até mesmo os comunitários, distribuídos pela tv à cabo. E as ações de marketing da obra e distribuição  não param, já que segundo a direção do filme, a ideia é estra ao alcance de todos. Nos próximos dias o filme também já estará disponível em DVD nas videolocadoras. O docudrama deve chegar ainda a cerca de mil instituições de educação da Região do Contestado, além de concorrer na mostra competitiva dos principais festivais de cinema no país.

Contudo os diretores da obra acreditam que a maneira mais acessível para o conteúdo do filme ainda continua sendo a veiculação televisiva. Por essa razão a assessoria de comunicação deve concentrar esforços na divulgação das exibições oficiais na telinha da TV. E a exibição deste sábado está ao alcance de milhões de brasileiros e assistir é fácil: Basta sintonizar a TV Câmara na parabólica, analógica ou digital. O canal também está disponível nas operadoras de tv por assinatura: Na Sky e Net, o canal é o 113, Oi TV canal 23, Claro TV canal 122 e Vivo TV canal 692.