Palmas

Foto: Antônio Gonçalves

Membros das comissões de execução do Projeto Vida no Trânsito (PVT) em Palmas, Teresina, Campo Grande, Belo Horizonte e Curitiba apresentaram, na tarde desta  última quinta-feira, 6,  segundo dia de programação do III Encontro Internacional de Parceiros do Projeto RS-10 Brasil/Vida no Trânsito (PVT),uma avaliação geral do PVT.

Em Palmas, quem ficou responsável pelo  monitoramento das  intervenções e dos fatores de riscos na Capital foi a economista da saúde, da  Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS),  Tanara Sousa. De acordo com  a economista,  Palmas teve    avanços  significativos no combate a redução de acidentes envolvendo álcool  e direção,  dentre eles está a   redução significativa do número de condutores  que recusam a utilizar o uso do  bafômetro durante as blitze,  mudança de comportamento do motorista quanto a continuidade da  Operação Lei Seca eu Apoio, e a credibilidade na fiscalização, com a parceria entre agentes de trânsito, polícia militar e guarda metropolitana.

Para Tanara Sousa, a estratégia adotada por Palmas, no reforço das ações de fiscalização foram positivas e fez algumas ponderações. “Durante nosso monitoramento visualizamos a necessidade de uma legislação que seja mais eficaz e que a punição seja  rápida”, disse.

A presidente da Comissão de Execução do PVT em Palmas, Marta Malheiros, ressaltou que, além de dar continuidade às fiscalizações, serão realizadas ações focadas na assistência às vítimas de acidentes graves. A coordenadora do projeto, pela Secretaria de Saúde de Campo Grande-MS, e especialista na área de violência, Sueli Mendes, destacou que um dos pontos fortes é a parceria entre os atores envolvidos no  projeto. “O importante  é que aqui  podemos ser avaliados pelos próprios parceiros”, ressaltou.

Para o secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transportes, coronel Ribamar Amorim, o III Encontro Internacional de Parceiros do Projeto RS-10 Brasil/Vida no Trânsito, foi  “altamente positivo”. Ele agradeceu a participação de todos os órgãos e parceiros  envolvidos  no projeto em Palmas.

Baseado na metodologia de parcerias intersetorias para o desenvolvimento de ações integradas, o PVTpossui entre seus parceiros as Secretarias Municipais da Saúde; de Segurança, Defesa Civil e Trânsito;  da Acessibilidade, Segurança e Transporte; da Educação; o Departamento de Trânsito do Estado (Detran), a Secretaria da Saúde do Estado; Sest/Senat, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros; Ministério da Saúde; Organização Mundial de Saúde; Ong Global Road Safety Partnership; Opas; Fundação Bloomberg Philanthropies, entre outros.