Educação

Foto: Divulgação

Com o objetivo de estabelecer um modelo educacional de excelência na Capital, o prefeito de Palmas,  Carlos Amastha e comitiva visitaram nesta quarta-feira, 19, as embaixadas da Finlândia, Coréia do Sul e Singapura, localizadas em Brasília/DF. Os três países ocupam os primeiros lugares no ranking mundial de desenvolvimento na educação.

Nas reuniões, o prefeito apresentou aos embaixadores o projeto que prevê investimento nos profissionais e solicitou cooperação das equipes técnicas dos países para impulsionar a educação básica no Município. “Vamos realizar uma revolução na educação e para isso procuramos os melhores do mundo no assunto, para conhecer as medidas adotadas que fizeram com que esses países saíssem do atraso na área da educação e chegassem ao topo do desenvolvimento, porque é isso que queremos para a nossa Capital”, destacou.

Amastha ainda ressaltou a receptividade dos países. “Fomos muito bem recebidos, os embaixadores entenderam o nosso objetivo e estou certo de que vamos firmar parcerias que irão impulsionar a educação básica oferecida pela rede municipal de ensino”.

Para Maria Luiza Nascimento, do Fórum Permanente de Educação Básica de Palmas, o encontro e a experiência com os países irão alavancar o setor. “Tenho certeza de que essa troca de conhecimento irá viabilizar a conquista da excelência na educação, além de propiciar estratégias que comporão o Plano Municipal de Educação e o plano de gestão do prefeito Amastha para o município”.

O prefeito e comitiva foram recebidos pelos embaixadores da Finlândia, Jarí Luoto, da República da Coréia, Bon-woo Koo e da Singapura, Liam Choo Tan.

Trajetórias

A Finlândia possui os melhores índices na área da educação há anos e ocupa o topo do principal ranking do mundo, com um sistema que usa apenas 6% do PIB (Produto Interno Bruto) do País.

Líder mundial em diversas áreas, Singapura traduz em excelentes números uma trajetória de sucesso. É o quarto centro financeiro do mundo, tem a terceira maior refinadora de petróleo e é o quinto porto mais movimentado do planeta. Ocupa a terceira posição no ranking mundial de educação.

O segundo lugar no ranking é ocupado pela Coreia do Sul, onde a educação é considerada pelo governo como alta prioridade. Esse patamar de qualidade e acesso à educação foi atingido graças a um maciço investimento em educação (em 2009, segundo o Banco Mundial, esse investimento foi de 5% do PIB, ou seja, US$ 47,1 bilhões) – principalmente na formação dos professores, no investimento em material de apoio e na melhoria da estrutura e funcionamento das escolas – combinado com a cultura asiática de disciplina e valorização do ensino.