Polí­cia

Foto: Valério Zelaya

Conscientização quanto ao uso correto dos equipamentos de segurança por motociclistas, objetivando a prevenção de acidentes de trânsito. Esse é o foco das blitze promovidas pela Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Civil e Trânsito (SMDCT) desde o dia 14 deste mês, em vários locais da Capital, por período indeterminado. Na manhã desta quarta-feira, 19, a operação aconteceu em frente à Faculdade Católica, na Avenida Theotônio Segurado.

Durante as blitze são verificados os documentos do veículo e do condutor e a manutenção da moto, como o funcionamento das lanternas. Os condutores também recebem orientações sobre o uso adequado do capacete e outros equipamentos de segurança de uso obrigatório. 

O gerente de Fiscalização, Paulo Marcos Lacerda, relata que “nas abordagens, verificamos se os capacetes são do tamanho adequado para a cabeça do usuário, se estão sem rachaduras e se têm o selo do Inmetro e se a viseira está em boa condição de uso“.

Lacerda lembra, também, que “o capacete deve ser usado de forma correta, com a cinta jugular totalmente ajustada e bem afivelada, para proteger o motociclista, pois numa colisão o corpo é arremessado e a cabeça, caso o capacete saia, vai direto ao solo”.

Para Cláudio Gonçalves de Oliveira, motociclista abordado na blitz desta quarta-feira, a ação é muito interessante como forma de prevenir acidentes. “Além de me sentir bem informado sobre a manutenção da minha moto e sobre os equipamentos de segurança, é importante essa conscientização para os condutores de motos”, acrescenta.

Redução de acidentes

Segundo dados disponibilizados pela SMDCT, no período de janeiro a março de 2013 teve uma redução de 69,44% no número de acidentes envolvendo motociclistas, em relação ao mesmo período do ano passado.

“Essa diminuição dos acidentes envolvendo motos é reflexo das blitze realizadas, conjuntamente com as ações da Operação Lei Seca eu Apoio,que tem como objetivo reduzir a gravidade dos acidentes e o índice de vítimas fatais. Portanto, vamos intensificar a fiscalização, junto a esse público vulnerável que são os motociclistas”, enfatiza Lacerda.