Palmas

Foto: Divulgação

Não adiantou suspender a sessão ordinária da Câmara na manhã desta quarta-feira, 19, para tentar aprovar urgência do requerimento, que possibilitaria a entrada em pauta do projeto de emenda à Lei Orgânica de Palmas que visa permitir ao prefeito que ele faça viagens internacionais por até 15 dias sem ter que pedir autorização da Câmara.

Por 10 votos contrários dos vereadores Iratã Abreu (PSD), Lúcio Campelo, Joaquim Maia, Júnior Geo, Etinho Nordeste, Damaso, Pastor João Campos, Emerson Coimbra, Waldson da Agesp e Gerson da Mil Coisas a urgência foi derrubada e a matéria terá tramitação normal na Casa. Para o vereador Iratã Abreu, não há necessidade de votar a mudança de uma lei tão importante com tanta urgência. “Precisamos analisar e discutir a matéria dentro dos trâmites da Casa”, disse Iratã.

A emenda é de autoria de Valdemar Júnior que explicou que pretende adequar a lei orgânica ás constituições estadual e federal. Ele disse que tinha 12 votos a favor mas houve uma reviravolta na Casa de leis. Para Valdemar a Câmara vai passar vergonha se a justiça conceder liminar determinando que a alteração seja feita já que o prefeito Carlos Amastha ingressou no Adin no Tribunal de Justiça.

Alguns vereadores querem que seja necessária uma comunicação formal por parte do prefeito para que o presidente da Casa, Major Negreiros (PP) assuma a cadeira quando ele viajar por menos de 15 dias.