Polí­tica

 Alguns vereadores de Gurupi foram ao Parque Mutuca em Gurupi na manhã desta quarta-feira, 19, onde está acontecendo a segunda edição do Parlamento Popular, porém, não são todos que estão totalmente satisfeitos com as atividades porque os deputados justificam que as sessões itinerantes são para aproximar os legisladores da população, mas os vereadores que são quem estão mais próximo do povo não têm o direito de expor as  necessidades da cidade.

O vereador Jonas Barros (PV) disse que este Parlamento Popular não passa de um circo e de um programa eleitoreiro. “Essa Assembleia itinerante é uma maneira de fazer campanha. A maioria dos deputados fica quatro anos sem trabalhar, sem receber o povo, não visitam as bases a aí quando chega ao ano em que antecede às eleições inventam subterfúgios que é para aparecer para o povo, mas na verdade isso tudo é enganação. Aparece neste período para mostrar a cara, buscando as lideranças da região, quem tem voto e quem conhece o povo. Aparecem em ano pré-eleitoral com convites para almoços, jantares, futebol, tudo politicagem”, disparou.

O vereador José Henrique (PRTB) foi mais amigável ao criticar Assembleia Itinerante e destacou que é importante a iniciativa de tentar aproximar o legislativo estadual do povo, mas sentiu falta da abertura de espaço para apresentação de problemas e propostas por parte dos vereadores e prefeitos da região. “Esta dificuldade de não termos voz é o ponto negativo. A vinda dos deputados é válida porque houve encontros individuais, mas seria mais proveitoso se tivéssemos a oportunidade de expressarmos as nossas reivindicações”, destacou.

Por: Heliana Oliveira

Tags: Jonas Barros, Parlamento Popular, Parque Mutuca