Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Sisepe-TO) vê com preocupação a determinação de redução de 15% dos cargos comissionados, medida tomada pelo governo estadual para diminuir os gastos com folha de pagamento. “No primeiro ponto analisamos que essa medida é tardia e vemos isso com preocupação. Toda vez que o governo tem algo para honrar com o servidor efetivo ele inventa essa história”, conta.

Outro ponto questionado foi a suspensão das convocações de aprovados no certame do Quadro Geral até setembro, conforme definiu o conselho gestor alegando que o Estado não tem como arcar com tais custos agora.

O presidente conta que em julho o governo deverá pagar o retroativo e a data-base dos servidores efetivos e teme que tal medida possa adiar o acordo feito. “ Está muito obscuro, o governo se contradiz e não diz quando vai fazer as exonerações dos cargos que pretende diminuir”, disse. Ele mencionou que na semana passada foram publicados vários contratos por parte do governo e questionou quais serão os critérios para a exoneração.

O Sindicato informou que na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, comandada por Paulo Massuia, apenas 10% dos servidores são efetivos.

O governo informou que cada secretário terá autonomia para fazer a redução dos cargos comissionados e funções gratificadas.