Campo

Foto: Divulgação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicou portaria formando a Comissão Técnica para a Produção de Abacaxi, para acompanhar e desenvolver políticas públicas voltadas para o fortalecimento da produção da fruta em todo o Brasil. Do Tocantins foram indicados três membros para compor o grupo que tem representantes do Norte e do Nordeste. Pela Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária (Seagro), o diretor de Desenvolvimento Vegetal, José Américo Vasconcelos; pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), Luís Henrique Fróes Michelin e pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Milene Mendonça de Souza Magalhães.

De acordo com a publicação oficial da União, a comissão deverá se reunir ordinariamente de seis em seis meses e, entre outras atribuições, deve elaborar as Normas Técnicas para Produção Integrada da fruta, que deverão ser adotadas por todos os produtores do Brasil.

Segundo o representante da Adapec, Luís Henrique Fróes, a partir do trabalho da Comissão, as medidas tomadas deverão nortear as políticas públicas, visando o aumento na produção do abacaxi. “A Comissão é para ver a perspectiva de crescimento da produção da fruta na região e em outros estados. Ao contrário das entidades isoladas, o grupo tem uma força maior e um direcionamento mais organizado sobre as políticas públicas voltadas para a produção”, completou.

Um dos focos principais de atuação da Comissão, conforme o técnico da Agência, é a produção integrada de abacaxi, que tem como objetivo aumentar a qualidade do produto e reduzir os impactos causados pelo uso indiscriminado de corretivos agrícolas, através do manejo adequado do solo e do monitoramento de pragas.

Segundo o engenheiro agrícola da Seagro, Genebaldo Barbosa de Queiroz, a produção integrada de abacaxi beneficia o meio ambiente, a saúde dos produtores e consumidores, além de reduzir o custo da produção. “Com o manejo adequado do solo e o mapeamento de pragas na lavoura, o produtor usa menos corretivos agrícolas, menos agrotóxicos e reduz os gastos na sua produção”, frisou.

Produção

O Tocantins é o sétimo estado brasileiro em volume de produção de abacaxi da variedade pérola. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estado em 2012 colheu mais de 34 mil toneladas da fruta, gerando um valor bruto de produção na casa dos R$ 34 milhões. Ao todo, é colhido anualmente uma média de 54 milhões de frutas no Tocantins, o que coloca o Estado em uma posição de destaque no cenário nacional.

Os abacaxis tocantinenses, segundo a Seagro, abastecem, além do mercado interno, estados da região centro-sul do Brasil, como São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Distrito Federal. Internamente, a região que mais produz a fruta é a central, mais precisamente entre os municípios de Miracema, Miranorte e Rio dos Bois.

Simpósio brasileiro

Em outubro deste ano a Seagro irá organizar no Tocantins o V Simpósio Brasileiro da Cultura do Abacaxi, onde todas as questões referentes à produção da fruta, incluindo a Produção Integrada, serão debatidos entre técnicos, produtores e pesquisadores de todo o Brasil. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no endereço eletrônico: www.vsimposioabacaxi.com.br. (ATN)