Educação

Foto: Divulgação

Não houve consenso na discussão sobre o Acordo Coletivo 2013/2014 da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins). Na Assembleia Geral realizada nesta quarta-feira, 10, no auditório da Universidade, os empregados públicos rejeitaram a proposta do Acordo Coletivo enviada pela reitoria da Universidade. Insatisfeitos, eles consideram pequenos os avanços nas 08 cláusulas que vinham sendo objeto de discussão entre os servidores e a Unitins. 

 A primeira Assembleia Geral que o SISEPE-TO realizou neste ano para discutir o Acordo Coletivo da Unitins foi convocada em 26 de fevereiro. Na ocasião, os servidores aprovaram uma proposta que foi encaminhada à reitoria da Universidade para avaliação. Após análise, uma nova Assembleia Geral foi convocada para o dia 17 de maio e naquela ocasião, os servidores, ao avaliarem as ponderações feitas pela Unitins, decidiram por não aprovar a proposta na íntegra. A negociação foi reaberta e oito pontos precisaram ser rediscutidos com a direção da Universidade. São eles: empréstimo salarial de férias, auxílio-alimentação, implantação do Consultório de Apoio à Saúde do Trabalhador, Ginástica Laboral, atuação dos dirigentes sindicais dentro da Instituição, Revisão do Plano de Empregos ainda neste ano, auxílio-maternidade e licença amamentação.

 Uma nova rodada de negociações se iniciou e a Unitins remeteu novamente a proposta de Acordo Coletivo à avaliação da categoria. “A decisão da categoria é soberana. Se a categoria entende que a proposta não atende os seus anseios, então nós apoiamos a decisão da categoria. O SISEPE-TO vai procurar novamente a Unitins e buscar mais avanços”, explicou o presidente Cleiton Pinheiro.

 Ele esclareceu ainda que enquanto o novo acordo não for aprovado, está em vigência o Acordo Coletivo firmado no ano passado.

 DATA-BASE

Atrasada desde março, a data-base dos servidores da Unitins foi alvo de duras críticas durante a Assembleia Geral. O projeto está tramitando na Assembleia Legislativa do Tocantins e a previsão é que seja votado no início de agosto. O índice de 6,77% tem por base o Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) acumulado no período. “Vamos mobilizar a categoria e realizar um protesto na Assembleia, mostrando a nossa indignação e nossa urgência na votação do projeto de lei da data-base”, enfatizou Albânia Morais, diretora de comunicação e relações públicas do SISEPE-TO e funcionária da Unitins.

COMISSÃO

Uma das pautas da Assembleia Geral da Unitins era eleger o membro efetivo e o membro suplente da Comissão de Recurso de Avaliação Periódica de Desempenho. Por meio de voto aberto, foram eleitos Cleiton da Silva Mendonça, como membro titular e Yzaac Gonçalves da Silva, como membro suplente. (Com informações do Sisepe)