Educação

Representantes da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da Coordenadoria Estadual de Promoção dos Direitos da Mulher do Estado do Pará (CPDMP) estiveram reunidos em Manaus nos dias 9 e 10 de julho para discutir a execução de dois projetos de pesquisa e um programa de extensão aprovados recentemente. Os três envolvem temáticas relacionadas a políticas públicas, ao desenvolvimento regional, à violência, à Amazônia, e têm como fio condutor as questões e os estudos sobre gênero. 

Os três projetos iniciais são o embrião de uma rede interinstitucional de pesquisadores que pretende aprofundar as discussões sobre as questões de gênero, violência e desenvolvimento regional.

"São projetos que foram pensados para viabilizar a criação dessa rede, pois contamos com uma equipe de especialistas extremamente qualificados de vários campos do conhecimento científico como ciência social, antropologia, assistência social, pedagogogia e jornalismo”, diz uma das idealizadoras da reunião, a doutora em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília (UnB) e professora da UFT, Cynthia Miranda.

Aprovados e financiados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pela Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e pelo Ministério da Educação através da Secretaria de Educação Superior (MEC/Sesu), os projetos discutidos abrangem a integração das políticas de gênero implementadas nos estados do Amazonas, Pará e Tocantins em uma perspectiva comparativa, a análise referente à organização das mulheres em organismos governamentais e seu desenvolvimento regional e, por último, a criação de um Observatório da Violência Contra a Mulher no estado do Amazonas.

Segundo a mestre em Ciências Sociais e professora da Ufam Flávia Melo, a iniciativa já está sendo muito importante para o mapeamento das questões de gênero no estado do Amazonas. "Estou bastante otimista com estes projetos, pois estamos começando um diálogo inédito e importante entre três estados da região Norte e região Amazônica. O fruto de nossas ações renderá um debate profundo sobre as questões de gênero. No Amazonas pretendemos fazer um mapeamento de todos os dados sobre violência contra a mulher elencando um grande panorama sobre a temática", acrescenta.

"Estamos fazendo um movimento inverso ao que é de praxe nas universidades não só da região, mas também do Brasil. Nossas pesquisas estão sendo feitas a partir do ‘interior para a capital’, e o que geralmente acontece é o contrário", destaca outra idealizadora do encontro, a professora da Ufam de Parintins e mestre em Serviço Social Milena Barroso.

A coleta de dados para as pesquisas já foi iniciada, e dentre os encaminhamentos mais imediatos da reunião de planejamento estão a realização de oficinas com grupos de mulheres nos estados do Amazonas, Pará e Tocantins, a partir do mês de outubro, e a produção de um videodocumentário sobre o tema. (Ascom UFT)

Por: Redação

Tags: CNPq, UFT, Ufam