Estado

 Uma das principais carências no mercado de trabalho, a capacitação profissional tem se tornado um grande obstáculo para a conquista de emprego em todo o Brasil. No Tocantins, a atuação conjunta do governo do Estado com entidades de ensino técnico e superior possibilita o acesso a cursos técnicos, superiores e de pós-graduação em diversas áreas, através da Universidade Aberta do Brasil (UAB). Ao todo, são mais de 30 cursos gratuitos divididos em 21 polos educacionais em todo o estado.

 Ao todo, mais de três mil alunos estão matriculados nos cursos da UAB. De acordo com a diretora de formação profissional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Maria da Penha Barbosa, o principal objetivo dos cursos da UAB é capacitar professores e gestores públicos. “Mas se não houver demanda para todas as vagas, as inscrições são abertas para toda a comunidade”, frisou.

 As instituições parceiras do programa Universidade Aberta são Fundação Universidade do Tocantins, Universidade Federal do Tocantins, Universidade de Brasília, Universidade Federal de Santa Maria – RS e Universidade Federal de São Paulo. As aulas são ministradas na modalidade de Ensino a Distância e os certificados, conforme a diretora da Sedecti, são emitidos pelas respectivas instituições de ensino.

 Cabe ressaltar que tanto as inscrições quanto os cursos em si são gratuitos e os propensos estudantes devem passar por processo seletivo para se matricularem. Os interessados em ingressar em um dos 36 cursos ofertados devem acessar o site de uma das instituições de ensino já citadas, ou procurar os polos em uma das cidades contempladas com a UAB.

 No Estado, dos 21 polos da Universidade Aberta do Brasil, 18 são mantidos pelo Estado e outros três, pelos municípios. Pelo governo do Tocantins são geridos os polos de Araguaína, Alvorada, Arraias, Araguacema, Araguatins, Campos Lindos, Colinas, Cristalândia, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Mateiros, Natividade, Palmas, Pedro Afonso, Porto Nacional, Taguatinga e Tocantinópolis.

 Os cursos oferecidos foram escolhidos levando em consideração uma grande carência brasileira, principalmente de professores da área de exatas, por isso a base das graduações em nível superior são cursos de licenciatura nas áreas de Matemática, Física, Química, Biologia, além de Letras e Geografia. “Esses cursos foram pensados justamente pelo objetivo de capacitar professores e essas são áreas mais carentes de profissionais”, frisou Marlene Alves.

 Além disso são oferecidos cursos nas áreas de Artes, Música, Educação Física, Informática,  Gestão e Administração, além de 10 cursos técnicos em diversas áreas. De acordo com a diretora, a maior procura de alunos é por cursos de nível superior, pela carência de universidades em diversas cidades. “A maioria dessas cidades-polo não tem uma faculdade”, disse.

 Grande alcance

Os cursos da Universidade Aberta do Brasil são oferecidos em diversos municípios do Tocantins onde não haviam aulas que  capacitassem a população para o mercado de trabalho. Mateiros, no Jalapão, por exemplo, possui cursos de Pedagogia e Administração. Este, de acordo com Marlene, é um dos objetivos da UAB. “A ideia é alcançar o público nos locais mais distantes onde as pessoas não tem oportunidade de ter cursos de graduação”, frisou.

 Segunda melhor gestão

No início de junho a gestão da Universidade Aberta do Brasil no Tocantins foi considerada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) a segunda melhor do Brasil, ficando atrás apenas do estado do Acre. O reconhecimento foi feito durante reunião da entidade com o secretário Paulo Massuia e o diretor da Unitins, Joaber Macedo em Brasília. (ATN)