Polí­tica

O deputado do PR, José Bonifácio retornou à Assembleia Legislativa do Tocantins após passar por cirurgia e tratamento médico e se pronunciou sobre a situação atual do governo. “Está escancarado às vistas, mesmo que não haja óculos, que não só o Tocantins mas o Estado e mais de uma centena de municípios do Estado vivem uma situação grave de penúria. Tão grave que às vezes as autoridades, o Executivo procura soluções que se parecem atabalhoadas mas na tentativa de se ajustar as situações urgentes como a que vive o Estado”, disse.

Conforme o parlamentar o governo tenta contribuir para melhorar a situação. Na opinião do deputado, o governo federal se preocupou mais em construir estádios para a Copa e esqueceu dos problemas principais do país. “Aí lascou-se a saúde, a Educação e os municípios e os Estados”, disse.

Bonifácio falou sobre o projeto do governo que reduz o salário do governador, vice e dos secretários. Ele citou que algumas categorias como os auditores fiscais ganham mais que os secretários e que o governo está tentando resolver o impasse. Bonifácio disse que o governo está estrebuchando e que a atual gestão tem prazo de dois anos para convocar os aprovados do Quadro Geral.  “Ele está no momento de ajuste em função da lei de responsabilidade fiscal tal qual a Assembleia está também”, disse. Ele afirmou que os concursados devem aguardar o  momento de reestruturação. “Se tiver uma boquinha eu indico mesmo mas se é preciso ajustar que se ajuste e os concursados tem que esperar um tempo”, afirmou.

Em seguida, o deputado Sargento Aragão (PPS) disse que o governo tem que convocar os concursados nem que seja de baixo de vara. “Esse mesmo governo gastou quase R$ 1 milhão em propaganda para dizer que o concurso foi sério e transparente, como se isso não fosse obrigação dele”, disse. Exaltado, o deputado disse ainda que o atual governo não conseguirá chegar até o final do mandato.

Mês da redenção

Na tribuna durante sessão desta quarta-feira, 7, a deputada do PMDB Josi Nunes fez uma reflexão sobre os principais gargalos do governo atual e frisou que agosto é o mês da redenção para o governo. Ela frisou que aguarda a resposta de vários setores do governo para questionamentos dos deputados. “A Agetrans garantiu que a operação tapa-buraco ia atingir 100% do Estado em agosto”, lembrou. Ela citou ainda que o governo precisa dar respostas para melhorar a Saúde e ainda resolver a situação dos aprovados que aguardam para serem chamados pelo concurso. “Os problemas continuam nos corredores e nas salas coloridas do HGP”, disse.

Ela afirmou ainda que o atual governo não respeita a Assembleia Legislativa nem as instituições. “O respeito às instituições foi deixado pelo governo do Estado”, disse. Ela frisou que os deputados precisam denunciar erros do governo. “A partir de agora toda e qualquer cobrança e denúncia depois de apurada por mim temos que realmente estar trabalhando em parceria com o MPE e com a justiça”, disse.