Polí­tica

Foto: Divulgação

O atendimento nas unidades de saúde da capital voltou a ser discutido hoje na Câmara Municipal de Palmas. Depois de ter ouvido os próprios vereadores da base do prefeito Carlos Amastha reclamarem do setor durante a sessão ordinária desta terça-feira, 13, o vereador Iratã Abreu (PSD-TO) se posicionou sobre o assunto e informou que pedirá uma nova audiência com o Secretário da Saúde, Nicolau Esteves.

Iratã lembrou aos presentes que no mês de junho esteve com o Secretário, ocasião em que apresentou um relatório do setor e cobrou providências que até o momento não foram executadas. “Não vimos até o momento nenhuma atitude do secretário para solucionar os problemas apontados no relatório e relatados aqui hoje também pelos vereadores da base”, disse Iratã ao expor que muitos dos servidores que contribuíram com informações do relatório sobre as unidades estão sendo coagidos.

Para Iratã, isso não deveria ocorrer, pois, aos apontarem os problemas da Saúde, esses servidores estão auxiliando a Câmara a se posicionar e buscar soluções para o problema.

Orçamento

Sobre o argumento do Executivo Municipal de que o orçamento está travado e que isso prejudica os investimentos na Saúde, Iratã lembrou que existem remanejamentos que podem ser efetuados na chamada fonte zero, zero para dar solução imediata para alguns problemas mais emergenciais.

“É como o vereador Rogério Freitas (PMDB) colocou hoje: quando o prefeito quer gastar, ele gasta e não há falta de recursos”, ressaltou Iratã ao citar também a informação do vereador Gerson da Mil Coisas de que a arrecadação aumentou.

“O que precisamos saber é para onde a arrecadação está sendo investida”, sugeriu Iratã ao afirmar que não entende porque o município tem feito diversas nomeações de comissionados, mas não nomeia profissionais para a Saúde; disse não entender também porque não são priorizados os reparos em unidades de saúde que estão precárias, a exemplo da Policlínica da 303 Norte, em que o piso está deteriorado, o ar condicionado não funciona e o teto está mofado.

Estado

Iratã também não poupou críticas à Saúde Estadual e informou aos presentes que não também não entende o porquê de até o momento não ter sido licitado pelo Governo do Estado o recurso de R$ 70 milhões, resultado de emenda da senadora Kátia Abreu (PSD-TO), para construção do Hospital Geral de Gurupi. O vereador lamentou ainda que os tomógrafos destinados à região do Bico do Papagaio estejam há dois encaixotados, sem nunca terem sido utilizados.

Major

Para finalizar, Iratã parabenizou o presidente da Casa, vereador Major Negreiros, por sua atitude de verificar a situação da saúde, afirmando que ele, enquanto prefeito interino e presidente da Casa, fez o que a gestão não faz. Mais cedo, Negreiros relatou que levou sua filha à UPA Sul na madrugada de domingo para segunda-feira e que pode constatar que é preciso mudanças.