Estado


A aposentada assistida da Defensoria Pública em Gurupi, C.D.L, 76 anos, recebeu nesta quarta-feira, 21, uma indenização no valor de R$ 17.000,00, paga pelo Itaú Unibanco Holding S/A, devido a débitos e empréstimos indevidos efetuados em sua conta.

Em setembro de 2012, quando a aposentada foi sacar seu benefício previdenciário, descobriu que o dinheiro já havia sido sacado e que existia ainda um empréstimo de mais de R$ 2.000,00 em seu nome.

A família da Assistida procurou o Banco, o qual alegou que alguém que teria a senha da conta teria feito o saque e o empréstimo, acusando os familiares da aposentada. “O Banco não conseguiu provar a acusação e isso gerou constrangimento para nossa família”, conta a filha da Assistida.

De acordo com a filha de C.D.L, após tentar negociar via Procon, a aposentada foi orientada a procurar a Defensoria Pública.

“Diante da situação relatada pela Assistida, de constrangimento e insegurança, a Defensoria Pública entrou com uma Ação Declaratória de Inexistência de Débito Cumulada com Indenização por Danos Morais. A nossa sensação é dever cumprido, assegurando à nossa Assistida a devolução do dinheiro, o cancelamento do débito e ainda a indenização devida”, destacou o defensor público Iwace Antonio Santana, responsável atual pelo caso.

Segundo o defensor público, o valor de R$ 3.400,00 em honorários advocatícios será depositado pelo Banco no Fundo Estadual da Defensoria Pública do Estado do Tocantins.

“Conseguimos finalmente resolver esse problema e graças ao apoio da Defensoria Pública, do defensor que nos atendeu e de sua analista, sempre prontos para esclarecer nossas dúvidas e explicar o que estava acontecendo”, conta a filha da assistida. (Ascom Defensoria Pública)